TJRJ promove casamento comunitário em cenário histórico

Com alegria e ansiedade, 49 casais puderam concretizar, nesta sexta-feira (19/5), o sonho do casamento no plenário do antigo Tribunal do Júri do Museu da Justiça do Rio. Foi mais uma iniciativa do Tribunal de Justiça do Estado do Rio de Janeiro (TJRJ) dentro do projeto Casamento Comunitário – que transforma uniões estáveis em casamento para pessoas de baixa renda sem cobrança pela oficialização do compromisso. Dessa vez, a ação contou com um cenário diferente. O espaço foi escolhido pela sua importância histórica, por ser um ambiente repleto de simbolismos estimulando a aproximação do Judiciário com a sociedade. A juíza auxiliar da Presidência Ana Paula Monte Figueiredo Pena Barros, acompanhou o evento e aprovou a iniciativa.

“É muito importante a Secretaria de Sustentabilidade Responsabilidade Social (SGSUS) retornar este ano com o projeto num espaço tão bonito e propiciar a concretização de um sonho na vida das pessoas. A beleza do local faz com que o evento se torne mais bonito ainda”, destacou a magistrada.

Ao som da orquestra do coral do TJRJ com músicas nacionais e internacionais, os casais de diferentes gerações aguardavam a vez na sala de espera para formalizarem as suas uniões. Emoção foi o que não faltou durante a cerimônia. Regina Knuppin Vieira, 56 anos, e João Carlos Barreto Martins, de 60, moram juntos há 30 anos e já têm um filho maior de idade. A noiva conta que o romance começou no trabalho e, de lá para cá, não se separaram mais. Após adiar por muitas vezes o tão sonhado “sim”, o casal conseguiu concretizar o sonho com o aval do juiz. Com muita vergonha, Renata prometeu diante do magistrado ser cada vez mais uma mulher melhor ao lado dele.

“A ideia de casar é antiga, mas a correria do dia-a-dia nos fazia adiar a data. Foi através de um anúncio no rádio que ouvimos que descobrimos do projeto e nos inscrevemos. Graças a Deus deu tudo certo. Marcamos, trouxemos os documentos e assinamos a certidão”, disse. “Não há palavras pra descrever a emoção. Gostaria de agradecer ao Tribunal pela oportunidade com a realização deste evento”, completou João Carlos.

Outro casal que oficializou a união foram os noivos Marcele Lorena Carneiro Cavalcante, de 24 anos, e Daniel Guimarães Cavalcante, de 38 anos, que moram juntos há sete. Daniel falou sobre a oportunidade de participar do casamento comunitário e como isso trará ainda mais felicidade para sua família, já que os dois têm um filho de cinco anos, e ele, um de 11 anos de outro relacionamento. “Esta oportunidade que o TJ nos proporciona é importante, pois além de ajudar financeiramente pela isenção do custo, contribui ainda mais com a felicidade da família. É importante para os filhos verem que o amor verdadeiro e o namoro levam ao casamento. Agradeço muito por isto”, contou.

O juiz Vitor Moreira Lima, titular da 1ª Vara Cível de Magé, que está acostumado a julgar casos que envolvem a área de Saúde, diz “sim” desde 2006 para participar da união de casais ao ser convocado.

“Aqui nós ouvimos o ‘sim’ dos dois lados.  Eu atuo na área de saúde e acompanho casos tristes e difíceis. Sinto-me gratificado em acompanhar momentos de alegria e conhecer a história de vida de cada casal. Esse projeto é muito importante porque resgata a dignidade dessas pessoas carentes e concretiza o sonho de formalizar a união estável em casamento”, afirmou.

Promovido pela Secretaria Geral de Sustentabilidade e Responsabilidade Social (SGSUS), o Casamento Comunitário tem o objetivo de converter uniões estáveis em casamentos – além de regularizar o estado civil de casais hipossuficientes, que já vivem maritalmente, para fins de proteção da família e ampliação das garantias dos direitos patrimoniais, sucessórios e previdenciários. Participaram também os juízes Maria Aparecida da Costa Bastos, da 51ª Vara Cível da Capital; a juíza Anne Cristine Scheele Santos, da 2ª Vara Cível de Nilópolis; e o juiz Antônio Luiz da Fonseca Luchese, da 44ª Vara Cível.

Na solenidade, os casais receberam a certidão com o novo estado civil.

As inscrições estão abertas para futuros Casamentos Comunitários pelo e-mail  diiso.casamento@tjrj.jus.br e pelo telefone (21) 3133 2054.

Fotos: Brunno Dantas/TJRJ

O NABALANCANF APENAS REPOSTA A NOTÍCIA QUE SE FEZ PÚBLICA SEM TECER QUALQUER COMENTÁRIO A RESPEITO DA MATÉRIA OU SE RESPONSABILIZAR PELA MESMA. TEM O CUNHO MERAMENTE INFORMATIVO.
Fonte
TJRJ

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

dezessete + seis =

Especialista

Olá! você têm alguma dúvida?