Júri em Araranguá condena homem a 30 anos de prisão por feminicídio da companheira

O Tribunal do Júri da comarca de Araranguá, em sessão na quarta-feira (31/5), condenou um homem de 41 anos, pelo feminicídio da companheira, a pena de 30 anos de reclusão. O crime aconteceu durante a madrugada, em setembro de 2020, no bairro Lagoão, em Araranguá.

Segundo a denúncia, o réu teria surpreendido a vítima, uma mulher de 41 anos, e a golpeado diversas vezes pelas costas com instrumento cortante, não tendo a vítima condições de prever ou de evitar o ataque. O crime foi cometido por motivo torpe, consistente no sentimento de posse e no inconformismo do denunciado com o fato de ter a vítima manifestado o propósito de terminar o relacionamento que com ele mantinha, e por razões da condição do sexo feminino da vítima. No local dos fatos residia o filho do casal, de 11 anos, que presenciou parcialmente o crime.

O réu foi condenado por homicídio triplamente qualificado, por motivo torpe, emprego de recurso que dificultou a defesa da vítima, feminicídio e em contexto de violência doméstica e familiar. Preso desde julho de 2022, o denunciado teve negado o direito de recorrer em liberdade. Ainda na sessão, o acusado manifestou o desejo de recorrer da decisão ao TJSC. O processo tramita em segredo de justiça.

Conteúdo: Assessoria de Imprensa/NCI
Responsável: Ângelo Medeiros – Reg. Prof.: SC00445(JP)
O NABALANCANF APENAS REPOSTA A NOTÍCIA QUE SE FEZ PÚBLICA SEM TECER QUALQUER COMENTÁRIO A RESPEITO DA MATÉRIA OU SE RESPONSABILIZAR PELA MESMA. TEM O CUNHO MERAMENTE INFORMATIVO.
Fonte
TJSC

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

cinco × 5 =

Especialista

Olá! você têm alguma dúvida?