Prefeitura prorroga mutirão de cirurgias e procedimentos vão até o fim de fevereiro

Mais de 5200 atendimentos, sendo 650 cirurgias, já foram realizados, superando em muito a meta de 4 mil estabelecida para esta fase

A Secretaria Municipal de Saúde (SMS) de Campos prorrogou o mutirão de cirurgias eletivas até o fim de fevereiro. Lançado em 13 de julho do ano passado, o programa já realizou 5200 procedimentos, superando a previsão de 4 mil estabelecida para a 6ª etapa do mutirão. No total, foram feitas 650 cirurgias e outros 4.550 antedimentos, entre consultas de triagem, avaliação cirúrgica e exames pré-cirúrgicos.

“A prorrogação se deu em função de que muitos pacientes ainda estavam no processo e concluíram a realização do risco cirúrgico, no entanto, o tempo para a realização das cirurgias não era suficiente”, explica a diretora de Auditoria, Controle e Avaliação (DACA), Bruna Araújo. “Aqueles que aguardam por uma consulta com cirurgião serão agendados”.

O Mutirão da Saúde de cirurgias eletivas tem o objetivo de zerar a fila para procedimentos do tipo, que incluem bariátricas, de catarata, hérnia, vesícula, ginecológica, cabeça e pescoço, urológicas e ortopédicas.

Novos pacientes devem realizar o pré-agendamento presencialmente, de segunda a sexta-feira, das 8h às 17h, através da recepção da sala 1 no Núcleo de Controle e Avaliação, que funciona na Rua Voluntários da Pátria, nº 175, em frente ao prédio da secretaria de Saúde. Entre os documentos exigidos estão o pedido original do Sistema Único de Saúde (SUS), que é o encaminhamento médico, documentos pessoais, cartão do SUS e todos os exames de imagem realizados até o momento.

“Quem teve indicação para alguma das cirurgias previstas no mutirão podem procurar o núcleo para o agendamento com cirurgião para dar início à programação do seu procedimento cirúrgico”, orienta Bruna.

Mais de R$ 9 milhões, entre verba federal, estadual e aporte municipal, já foram investidos no mutirão.

Dentre os procedimentos ofertados estão: exérese de cisto tireoglosso; rireoidectomia parcial e total; amigdalectomia e adenoidectomia; colecistectomia e colecistectomia videolaparoscópica (retirada da vesícula); hernioplastia epigástrica, incisional, inguinal (bilateral), inguinal /crural (unilateral) e umbilical; reparo de rotura do manguito rotador; tratamento cirúrgico de luxação recidivante / habitual de articulação; reconstrução ligamentar intra-articular do joelho; tratamento cirúrgico de rotura do menisco com meniscectomia; extração endoscópica de cálculo em pelve renal; ureterolitotripsia transureteroscópica; histerectomia (por via vaginal); histerectomia total; histeroscopia cirúrgica com ressectoscópio, além de colpoperineoplastia anterior e posterior.

O NABALANCANF APENAS REPOSTA A NOTÍCIA QUE SE FEZ PÚBLICA SEM TECER QUALQUER COMENTÁRIO A RESPEITO DA MATÉRIA OU SE RESPONSABILIZAR PELA MESMA. TEM O CUNHO MERAMENTE INFORMATIVO.
Fonte
JORNAL TERCEIRA VIA

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

2 × dois =

Especialista

Olá! você têm alguma dúvida?