CENTENAS DE PESSOAS COMPARECEM A AÇÃO SOCIAL NO TJRJ PELO DIA INTERNACIONAL DA PESSOA COM DEFICIÊNCIA

Notícia publicada por Assessoria de Imprensa em 30/11/2023 19:31

Antes mesmo do início da ação social, centenas de pessoas portadoras de deficiência já aguardavam, ansiosas, a abertura do mutirão que ofereceu, de forma gratuita, diversos serviços necessários à inclusão. A iniciativa do Tribunal de Justiça do Estado do Rio de Janeiro (TJRJ) pelo Dia Internacional da Pessoa com Deficiência foi realizada desde as primeiras horas da manhã desta quinta-feira (30/11) e só foi encerrada às 17h.

Liderada pela Comissão Permanente de Acessibilidade e Inclusão (COMAI) e pela Secretaria Geral de Sustentabilidade e Responsabilidade Social (SGSUS) do TJRJ, a ação social buscou ir além da oferta de serviços, fazendo com que os portadores de deficiência buscassem o direito à cidadania. O evento aconteceu no térreo da Lâmina III do Fórum Central, localizado na Rua Dom Manuel Nº 37.

“Esse evento é muito importante para nós. O Tribunal de Justiça desde o ano passado tem se empenhado, principalmente nesses dias especiais que nós temos no calendário, em abrir suas portas. E fizemos isso novamente. Mais do que isso: abrimos nossas mentes e nossos corações”, disse a desembargadora Regina Lúcia Passos, presidente da Comai e coordenadora do evento, complementando:

“A questão da deficiência é muito séria e invisibilizada socialmente e juridicamente. Que as pessoas venham sempre e possam encontrar aqui os serviços desejados e necessários para que elas tenham cidadania”, destacou.

Presidente do TJ acompanha atendimento 

O presidente do TJRJ acompanhou de perto todo o atendimento na manhã desta quinta-feira, visitando os estandes dos órgãos envolvidos como Detran, TRE, Ministério Público, Defensoria Pública, secretarias municipais de diferentes áreas, entre outros, e conversando com as pessoas que foram em busca de uma solução para os problemas enfrentados no dia a dia.

E foi justamente o que Ana Maria Pena Pacheco, acompanhada do filho, Cesar Guimarães, foi em busca:

“ Eu vim aqui tentar a isenção das obrigações eleitorais do meu filho que fez 18 anos e é portador de deficiência mental, junto ao TER. venho tentando desde de setembro e não consigo”, explicava, quando foi encontrada pelo presidente do TJRJ. Ele perguntou a ela por quais serviços procurava e se comprometeu a ajudá-la.

“Se você não conseguir resolver hoje, pode bater na minha porta”, disse o desembargador Ricardo Rodrigues Cardozo.

E Ana Maria não só deu entrada no pedido junto ao órgão eleitoral, como aproveitou o programa Justiça Itinerante do tribunal para realizar um sonho de 20 anos: casar com César Guimarães Cordeiro, uma união que teve de ser adiada por conta do nascimento do filho. E foi assim que eles oficializaram a tão esperada união.

Serviços em um só lugar 

O mutirão organizado pelo TJRJ foi muito elogiado. A tradutora e intérprete da linguagem de Libras Débora Ricio levou os filhos Samuel, de 8 anos, e Noa, de 3 anos, para tirar, finalmente, o RioCard dos meninos portadores do transtorno do espectro autista.

“Eu sou muito agradecida ao Tribunal de Justiça. Essa iniciativa, de unir todos os serviços num só lugar, facilita muito a vida de todos nós, que temos de ir para vários lugares com nossos filhos e vencer barreiras”, disse a intérprete.

A juíza Ana Paula Barros, juíza auxiliar da presidência, destacou a importância do atendimento à população e a parceria com diversos órgãos.

“A importância desse evento para a população é justamente facilitar o acesso e dar conhecimento de serviços que, inclusive, as pessoas desconhecem. E aqui, com essa concentração e dando essa facilidade, as pessoas conseguem retornar para suas casas com vários problemas resolvidos ou encaminhados e isso é muito importante”.

O presidente do Tribunal de Justiça, desembargador Ricardo Cardozo, se disse feliz pelo fato de o tribunal estar participando de uma ação tão importante.

“ Eu não tive ideia da dimensão desse evento e falei com a desembargadora Regina. Um projeto que sempre tive é envolver o tribunal em ações sociais, entendendo que nós temos responsabilidade social, com a inclusão social. A Comai e a desembargadora estão de parabéns por esse trabalho”, concluiu o presidente do TJRJ.

 

                                                                Equipes da Comai e da SGSUS comemoraram o sucesso da ação com o presidente Ricardo Rodrigues Cardozo

PF/FS

Fotos: Brunno Dantas

O NABALANCANF APENAS REPOSTA A NOTÍCIA QUE SE FEZ PÚBLICA SEM TECER QUALQUER COMENTÁRIO A RESPEITO DA MATÉRIA OU SE RESPONSABILIZAR PELA MESMA. TEM O CUNHO MERAMENTE INFORMATIVO.
Fonte
TJRJ

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

onze + 12 =

Especialista

Olá! você têm alguma dúvida?