Adote um Boa Noite: campanha estimula adoção de jovens e crianças com mais de 8 anos

Projeto iniciado em 2017.

 

O projeto Adote um Boa-Noite tem o objetivo de estimular a adoção de crianças e adolescentes com mais de oito anos e/ou com alguma deficiência. Desde outubro de 2017, a página Adote um Boa Noite divulga fotos e relatos de crianças e adolescentes acolhidos pelo Poder Judiciário e que têm poucas chances de adoção por falta de interessados.

A ideia é dar visibilidade a esses jovens, mostrando-os como sujeitos de direitos, parte integrante da sociedade, além de tentar contribuir com a evolução da concepção social de adoção, ampliando a baixíssima quantidade de adoções de crianças com mais de oito anos ou com deficiência – cerca de 90% daqueles que se candidatam a adotar pretendem crianças pequenas. Para a divulgação, o Tribunal contou com o apoio da imprensa e parcerias com os times de futebol Corinthians e São Paulo e com as empresas de transporte de públicos como Metrô, CPTM, EMTU, ViaQuatro e ViaMobilidade. A página e a campanha foram desenvolvidas gratuitamente pela agência F/Nazca a pedido do TJSP.

Desde o início do projeto até novembro de 2019, foram conquistadas 19 adoções e outros 26 processos de adoção estão em andamento. Além disso, três crianças foram adotadas e cinco processos foram iniciados por pessoas atraídas pelo projeto. O nome da campanha, vencedora na categoria “Tribunal” do Prêmio Innovare 2018, remete a um momento de solidão das crianças abrigadas, que deixam de receber um beijo de “boa-noite” do pai e da mãe ao se deitarem para dormir. Todos os pretendentes precisam passar por uma avaliação antes da aproximação com as crianças, de forma que o contato seja realizado da melhor forma possível.

 

Comunicação Social TJSP – GA (texto) / F Nazca (arte)

imprensatj@tjsp.jus.br

 

Siga o TJSP nas redes sociais:

O NABALANCANF APENAS REPOSTA A NOTÍCIA QUE SE FEZ PÚBLICA SEM TECER QUALQUER COMENTÁRIO A RESPEITO DA MATÉRIA OU SE RESPONSABILIZAR PELA MESMA. TEM O CUNHO MERAMENTE INFORMATIVO.
Fonte
TJSP

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

dezessete + 14 =

Especialista

Olá! você têm alguma dúvida?