Poder Judiciário de Mato Grosso reforça campanhas de conscientização em estádios de futebol

Campanhas de conscientização sobre violência doméstica contra a mulher e adoção, do Poder Judiciário de Mato Grosso, chamaram atenção ao longo do Campeonato Mato-grossense de futebol. Na final entre o Cuiabá e União de Rondonópolis as faixas de conscientização levaram as mensagens para o público no último sábado (8 de abril), na Arena Pantanal, em Cuiabá. A ação é uma parceria entre a Federação Mato-Grossense de Futebol (FMF) e o Poder Judiciário.

A parceria, por meio da Corregedoria-Geral da Justiça na campanha da adoção e do Tribunal de Justiça, por meio da Coordenadoria Estadual da Mulher em Situação de Violência Doméstica e Familiar (Cemulher-MT), na campanha de violência doméstica, e a Federação tem objetivo de chamar atenção das torcidas e daqueles que amam o futebol para as duas causas.

No estádio, o locutor falou sobre as campanhas para reforçar a relevância sobre os dois assuntos.

O presidente da Federação Mato-grossense de Futebol, Aron Dresch destaca que a parceria visa levar a mensagem ao conhecimento do público no que diz respeito à conscientização. “É mostrar a importância do combate à violência doméstica e que esse fato ocorre na nossa sociedade. Esse é o objetivo das faixas, assim como da adoção, no início do jogo. E é essa nossa parceria, de levar esse conhecimento ao público que vem assistir os jogos.

A juíza auxiliar da Corregedoria-Geral da Justiça, Christiane da Costa Marques Neves, ressalta a importância dessa união com a FMF, que é muito bem-vinda, e que a intenção é renovar essa parceria.

“A Federação Mato-grossense de Futebol é uma parceira muito importante no desenvolvimento dos trabalhos do Tribunal e Justiça, especialmente da Corregedoria, em temas tão importantes destacados como a violência e a adoção. Agradecemos a oportunidade de levar a milhares de pessoas as mensagens que precisamos transmitir à sociedade. Que as crianças sejam vistas, sejam lembradas, que esse instituto tão importante da adoção tenha o reconhecimento que merece. E a campanha de violência doméstica, em especial em um campo de futebol, onde o público é majoritariamente masculino, revela nossa preocupação também de levar para a comunidade o cuidado e o zelo que o Tribunal tem com a mulher no Estado de Mato Grosso.”

Para a juíza Ana Graziela Vaz de Campos Alves Corrêa, coordenadora da Rede Municipal de Combate à Violência Doméstica e Familiar de Cuiabá e coordenadora do Centro de Acolhimento às Vítimas de Crimes e Atos Infracionais do Fórum de Cuiabá, a campanha realizada em estádios de futebol tem objetivo de propagar a mensagem para todos da sociedade.

“A escolha do estádio de futebol para divulgar a campanha de combate à violência doméstica foi uma ideia construída pela Rede Municipal. Escolhemos um evento com público predominantemente masculino para conscientizar que todos têm um papel fundamental no combate a esse tipo de violência. A violência doméstica não é um problema apenas da mulher, mas sim um problema social que necessita ser trabalhado em diversos ambientes. É necessário conscientizar que os homens também são nossos aliados no combate à violência doméstica e familiar.”

O empresário Marcelo Ferreira sempre vai ao estádio, com a esposa Fernanda e os dois filhos, Romeu e Enrico, assistir aos jogos do Cuiabá. Ele avalia como positiva a campanha com as faixas num estádio de futebol. “Acho importante para conscientizar as pessoas que estão aqui e é interessante porque é um espaço que reúne família, mulheres e crianças. Uma oportunidade boa para se falar sobre o assunto, sim”, afirmou.

Quem também aprovou a ideia, especialmente sobre a faixa relacionada à adoção foi a médica veterinária Michelle Griggi. “É tão importante o ato de adotar, tem tantas crianças esperando na fila. É uma ótima iniciativa essa divulgação”, comentou ao lado do filho Pedro, de 12 anos.

Juizado do Torcedor

Presente em jogos e grandes eventos, o Juizado Especial do Torcedor (JET) é o Poder Judiciário representado nos locais para assegurar os direitos e segurança dos participantes.

A juíza Patrícia Ceni é a coordenadora do JET e ressalta a importância das campanhas de conscientização realizadas pelo Poder Judiciário de Mato Grosso.

“Futebol é uma paixão nacional e, sendo assim, tudo o que pudermos fazer de campanhas, seja contra a violência doméstica ou a favor da adoção, qualquer campanha que tenha cunho de explicar para a comunidade, para a população, sobre direitos e deveres, é muito bem visto. Primeiro porque os jogos são transmitidos e isso se propaga para outros municípios, para outras pessoas que não puderam estar aqui presentes. E para aqueles que estão presentes no estádio cria o cunho da criança perguntar para o pai o que está acontecendo, qual o motivo das faixas ou da campanha. Então já estamos educando a atual geração e já prevendo o futuro para que esses números diminuam em relação a violência doméstica e que aumentem muito as questões acerca da adoção”, reiterou a juíza.

Atuação do JET

O Juizado Especial do Torcedor atua para garantir a segurança e o atendimento imediato de demandas que ocorram no estádio ou em grandes eventos, seja de uma reclamação cível ou um ato de menor potencial ofensivo que seja da área criminal.

A atuação do Poder Judiciário, em conjunto com outras instituições, assegura direitos e a segurança da população, conforme disse a juíza. “A presença do Poder Judiciário no local dos eventos fez com que as famílias tivessem mais segurança porque sabem que estão amparadas não só pela Polícia Militar, mas por um delegado, pela presença de uma magistrada, de um promotor. Seja o que for que aconteça será resolvido exatamente no local.”

A equipe do JET é composta por um gestor, um assessor, técnico de Tecnologia da Informação, motorista, além de contar com a presença do Ministério Público e Defensoria Pública para que todas as situações que acontecerem sejam resolvidas in loco.

Fonte: TJMT

O NABALANCANF APENAS REPOSTA A NOTÍCIA QUE SE FEZ PÚBLICA SEM TECER QUALQUER COMENTÁRIO A RESPEITO DA MATÉRIA OU SE RESPONSABILIZAR PELA MESMA. TEM O CUNHO MERAMENTE INFORMATIVO.
Via
Foto: TJMT
Fonte
CNJ

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

sete + 18 =

Especialista

Olá! você têm alguma dúvida?