Violência doméstica: mutirão avalia pacientes para cirurgias reparadoras

No último sábado, 15/7, foi realizado o primeiro mutirão para avaliação ambulatorial de vítimas de violência doméstica passíveis de cirurgias reparadoras. A iniciativa é fruto da parceria firmada, em maio deste ano, entre o Tribunal de Justiça do Distrito Federal e dos Territórios (TJDFT), por meio do Núcleo Judiciário da Mulher (NJM), com o Instituto para o Desenvolvimento do Ensino e Ação Humanitária (IDEAH) da Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica (SBCP).

A Juíza Luciana Lopes Rocha, titular do Juizado de Violência Doméstica e Familiar contra a Mulher de Taguatinga e Coordenadora do NJM, informou que, por meio de levantamento realizado pelos juizados de violência doméstica e familiar, tribunais do júri, juizados especiais e varas criminais, foram encaminhadas ao NJM 28 mulheres com sequelas de crimes de violência doméstica e familiar, incluindo tentativas de feminicídio, para avaliação médica de possíveis situações elegíveis para intervenção cirúrgica reparadora.

“As vítimas com indicação de cirurgia plástica serão encaminhadas pela Fundação IDEAH para o Serviço de Cirurgia Plástica da Rede Privada credenciada e demais serviços credenciados à Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica (SBCP), para o tratamento adequado. A parceria se revela importantíssima em razão da necessidade de proteção integral da vítima, conforme diretrizes da Lei Maria da Penha, para assegurar-lhes condições para exercício efetivo de acesso à saúde”, explicou a magistrada.

Mutirão atendimento cirúrgias reparadoras HRAN.jpeg

ação de sábado ocorreu no auditório do Hospital Regional da Asa Norte (HRAN) e atendeu 10 mulheres. Entre as selecionadas, algumas não residem mais no DF e outras não manifestaram interesse no procedimento.

Na ocasião, o Presidente da Fundação IDEAH, cirurgião Luciano Ornelas Chaves, agradeceu aos colegas médicos e residentes voluntários que atenderam às vítimas. “São casos graves que podemos reconstruir, para oferecer uma melhora na qualidade de vida destas pacientes. Assim, fortalecemos a imagem da cirurgia plástica perante às instituições, sobretudo o Judiciário e a população”, afirmou. Segundo o médico, o planejamento é para que as cirurgias sejam feitas na primeira quinzena de agosto.

Também estiveram presentes no mutirão Marcos Francisco de Souza, assistente social do TJDFT, e Gustavo Félix, Chefe do Serviço de Cirurgia Plástica do HRAN, entre outros médicos.

O NABALANCANF APENAS REPOSTA A NOTÍCIA QUE SE FEZ PÚBLICA SEM TECER QUALQUER COMENTÁRIO A RESPEITO DA MATÉRIA OU SE RESPONSABILIZAR PELA MESMA. TEM O CUNHO MERAMENTE INFORMATIVO.
Fonte
TJDFT

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

um − um =

Especialista

Olá! você têm alguma dúvida?