TJSC reforça atenção à saúde mental e canais de atendimento durante Janeiro Branco

A saúde mental, considerada por especialistas como por muito tempo negligenciada como área da saúde, agora está cada vez mais no foco das discussões e debates e recebe, neste mês, atenção especial pela campanha Janeiro Branco, na qual o Poder Judiciário de Santa Catarina (PJSC) está engajado. O Janeiro Branco é uma campanha mundial, mas só se tornou um marco oficial no calendário brasileiro em 2024 pela Lei nº 14.556 de 25 de abril de 2023.

Para o médico da Diretoria de Saúde e Qualidade de Vida (DSQV) do TJSC William Duailibi, a saúde mental vem ganhando cada vez mais espaço na concepção de saúde da Organização Mundial da Saúde (OMS), junto com bem-estar físico, emocional, social, espiritual e todos os aspectos da nossa vida. “Cada vez mais vemos que o ser humano sofre não só por doenças físicas, mas também por doenças mentais. Campanhas como Janeiro Branco, que trazem para a discussão de saúde a saúde mental são muito importantes, com essa atenção, esse foco de todas as pessoas e mídia para essa questão”.

A DSQV possui algumas ações que dialogam com o Janeiro Branco, sendo uma das principais o Programa Acolhe, de acolhimento e orientação, promovido por psicólogos e assistentes sociais, do qual servidores, magistrados, estagiários, residentes judiciais e demais colaboradores do PJSC podem entrar em contato com a diretoria por conta de desconforto emocional momentâneo (como tristeza, insegurança, ansiedade ou angústia), relacionado ao trabalho ou questões familiares e de vida. O atendimento feito por meio do canal institucional de escuta qualificada é sigiloso e individual, por meio telefone, internet ou presencial.

De acordo com Duailibi, é um programa que já está institucionalizado e sólido, com atendimento feito em escalas para que os profissionais do PJSC sempre sejam atendidos no momento em que precisem. O médico ainda destaca que o atendimento não é uma psicoterapia de longo prazo, é um atendimento emergencial. “São, em média, de um a três atendimentos em que pode haver encaminhamento para psicólogo, psiquiatra ou terapias. Isso ajuda a atenuar esse sofrimento agudo e pode ajudar a prevenir complicações mais graves”.

Saúde mental ainda é considerada tabu e negligenciada em relação a saúde física

A psicóloga da DSQV Rafaela Pederiva, explica que a saúde mental foi por muito tempo associada à ausência de doença e ainda é um tema tabu para muitas pessoas devido ao estigma de quem tem transtorno mental. “A campanha Janeiro Branco tem como foco conscientizar sobre saúde mental e estimular que o cuidar de si ocorra de forma integral. Isso porque não é incomum encontrar pessoas que investem muito cuidado na saúde de seus corpos – com exercícios regulares, alimentação adequada, suplementação, etc. – mas, descuidam ou negligenciam os aspectos emocionais, mentais e afetivos”.

A profissional explica que a noção atual de saúde mental diz respeito à maneira como as pessoas reagem diante das demandas internas e externas. “Pessoas mentalmente saudáveis demonstram compreensão dos próprios limites e dos alheios. Lidam com seus sentimentos e emoções, agradáveis ou desagradáveis. Ainda, enfrentam e buscam meios para lidar com os desafios, os conflitos e mudanças que surgem no cotidiano e, diante das dificuldades, buscam auxílio”.

A Seção Psicossocial em Saúde da DSQV participa de ações de promoção da saúde e da qualidade de vida dos servidores. São diversas as atividades, campanhas e ações realizadas a partir do ReprogrAme-se, além das ofertadas em parceria com outras diretorias. Dentre as atividades em funcionamento que contemplam o cuidado com a saúde mental dos servidores destacam-se, além do programa Acolhe, os programas Conversa com GestoresEncontros com a SaúdeQualidade de vida no trabalho, e as rodas de conversa sobre saúde mental, realizadas nas comarcas no Programa Saúde Itinerante.

Ainda neste tema, foi lançado em 2023 o protocolo de prevenção ao suicídio para orientar colaboradores e colaboradoras do PJSC. É um material em formato de fluxograma, que explica como agir nessas situações. Além disso, o médico da DSQV destaca que recepcionistas, secretários, enfermeiros, psicólogos, estão orientados em como agir e, em caso de ligação, como realizar acolhimento, priorizando a ligação aos psicólogos.

A prevenção ao suicídio também foi tema da 27ª edição do podcast Conexão Justiça, o podcast do Judiciário catarinense. O programa recebeu a psicóloga da Seção Psicossocial em Saúde da DSQV do TJSC, Erika Medeiros Braz; a médica e diretora da DSQV, Graciela de Oliveira Richter Schmidt; e o médico psiquiatra da Gerência de Saúde do Ministério Público de Santa Catarina, Aloísio Hofer Begrow.

Divisão de Desenvolvimento e Valorização de Pessoas também engajada na saúde mental

Além dos programas e ações em que atua em conjunto com a DSQV, a Diretoria de Gestão de Pessoas do PJSC também se dedica em iniciativas que abrangem a saúde mental. A Seção Psicossocial Organizacional, da Divisão de Desenvolvimento e Valorização de Pessoas (DDVP), atua buscando favorecer a melhoria da satisfação e do envolvimento com o trabalho, e da qualidade de vida laboral dos colaboradores, bem como facilitar o desenvolvimento de relações interpessoais visando à humanização e à melhoria do desempenho organizacional.

“Considerando que passamos boa parte do nosso tempo no trabalho, manter relações verdadeiras, num ambiente onde haja empatia, onde somos considerados e nos sentimos pertencentes, certamente contribui para a saúde mental”, explica a chefe da Seção Psicossocial da DGP, Karen Neumann.

Nesse contexto, a DDVP contribui para a saúde mental dos colaboradores e colaboradoras do Poder Judiciário Catarinense com algumas de suas ações, como, por exemplo o Programa de Desenvolvimento de Relações InterpessoaisPrograma Bem-Estar no TrabalhoPrograma Mães do JudiciárioSementes de Bem-estarPrograma de Preparação para a Aposentadoria e Programa de Educação Financeira.  Ao final, menção para o Programa de Educação Financeira, pois é de amplo conhecimento o quanto a instabilidade e desequilíbrio financeiros podem impactar na saúde mental.

 

 

Imagens: Divulgação/Freepik
Conteúdo: Assessoria de Imprensa/NCI
Responsável: Ângelo Medeiros – Reg. Prof.: SC00445(JP)
O NABALANCANF APENAS REPOSTA A NOTÍCIA QUE SE FEZ PÚBLICA SEM TECER QUALQUER COMENTÁRIO A RESPEITO DA MATÉRIA OU SE RESPONSABILIZAR PELA MESMA. TEM O CUNHO MERAMENTE INFORMATIVO.
Fonte
TJSC

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

2 × 2 =

Especialista

Olá! você têm alguma dúvida?