TJ e Prefeitura ampliarão grupos reflexivos para autores de violência na capital

Quais são os caminhos mais eficazes para prevenir e combater a violência doméstica contra a mulher? Especialistas acreditam que, além do trabalho já realizado pelas polícias e pelo sistema de Justiça, é necessário discutir com os homens ideias e conceitos que formam e fomentam a cultura do machismo.

Nesse diapasão, a Coordenadoria Estadual da Mulher em Situação de Violência Doméstica (Cevid), do Tribunal de Justiça de Santa Catarina, aposta nos grupos reflexivos. Na próxima segunda-feira (30), integrantes da Cevid se reúnem com representantes da Prefeitura Municipal de Florianópolis para expandir o serviço na cidade – hoje ele está disponível apenas na Universidade Federal de Santa Catarina. O Grupo Vida Mulher, organização da sociedade civil empenhada na luta contra a violência, também estará presente.

Em parceria com a UFSC, a Cevid dará suporte e consultoria para a criação dos grupos. Com a ideia de reeducar e reabilitar os homens autores de violência doméstica e familiar contra a mulher, esses grupos se propõem a discutir temas como sexismo, relações de gênero, machismo, conceituação de violências e outros conexos que promovam masculinidades saudáveis e o enfrentamento das violências contra as mulheres.

“A função dos grupos é promover a responsabilização reflexiva com homens autores de violência, um trabalho coletivo e que subverte os sentidos e significados da homossocialização masculina”, explica Michelle Hugill, secretária da Cevid.

Michelle é uma das autoras da trilogia “Grupos Reflexivos e Responsabilidades para Homens Autores de Violências contra Mulheres no Brasil”, uma pesquisa que mapeou as ações reflexivas e responsabilizantes com autores de violência contra as mulheres em todo o Brasil. Lançado em e-book, o estudo foi conduzido pela Cevid e pela UFSC, com o apoio da Federação dos Municípios Catarinenses (FECAM).

O mapeamento identificou 312 iniciativas com homens autores de violência doméstica em funcionamento no país. Santa Catarina é a terceira unidade da Federação em iniciativas – são 31 grupos reflexivos no Estado.

Imagens: Divulgação/Pixabay
Conteúdo: Assessoria de Imprensa/NCI
Responsável: Ângelo Medeiros – Reg. Prof.: SC00445(JP)

O NABALANCANF APENAS REPOSTA A NOTÍCIA QUE SE FEZ PÚBLICA SEM TECER QUALQUER COMENTÁRIO A RESPEITO DA MATÉRIA OU SE RESPONSABILIZAR PELA MESMA. TEM O CUNHO MERAMENTE INFORMATIVO.
Fonte
TJSC

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

13 − 9 =

Especialista

Olá! você têm alguma dúvida?