Teste da Urna 2023: ao abrir evento, secretário de TI destaca contribuição da sociedade

Secretário de TI do TSE, Júlio Valente, abriu o Teste Público nesta segunda (27) e ressaltou a colaboração dos participantes na melhoria dos sistemas eleitorais

27/11/2023 15:58 – Atualizado em 27/11/2023 16:38

Na tarde desta segunda-feira (27), o secretário de Tecnologia da Informação do Tribunal Superior Eleitoral (STI/TSE), Júlio Valente, abriu oficialmente a 7ª edição do Teste Público de Segurança da Urna, que ocorre até sexta-feira (1º), em ambiente exclusivo localizado no 3º andar da sede da Corte, em Brasília.

Após dar as boas-vindas aos ­participantes, Júlio Valente destacou a generosidade de investigadoras e investigadores em destinar parte do tempo para colaborar e melhorar a segurança dos sistemas eleitorais. O secretário informou que o Teste da Urna deste ano conta com um número recorde de inscritos e planos de teste aprovados, o que demonstra que a sociedade civil está cada vez mais interessada em ajudar a manter a segurança do processo eleitoral.

“O TPS é importante, porque efetivamente demonstra a participação da sociedade civil brasileira na construção e no aprimoramento contínuo da segurança do processo eleitoral”, afirmou Valente, reforçando que é a partir desse esforço coletivo com a Justiça Eleitoral que essa segurança é mantida atualizada.

Nesta edição, 13 inscrições – cinco individuais e oito de grupos – executarão 31 planos de teste na semana do evento, totalizando 36 investigadoras e investigadores no ambiente de testagem.

Veja o vídeo da abertura no canal do TSE no YouTube

Os três pilares do processo eleitoral

Na abertura do evento, Júlio Valente disse que o processo eleitoral brasileiro é baseado em três pilares: segurança, transparência e auditabilidade. Segundo ele, esses pilares se alinham ao propósito do Teste da Urna, que busca, ao longo da semana, aprofundar a segurança dos sistemas. O secretário lembrou que o objetivo dos planos de teste de investigadoras e investigadores é, justamente, tentar vulnerar o sigilo ou a integridade do voto.

“Quando encontram alguma oportunidade de melhoria, eles apontam isso para nós e, colaborativamente, acolhemos essa sugestão. Depois a implementamos”, explicou Júlio Valente.

Caso tenham êxito, os participantes voltam ao TSE em maio do próximo ano para o Teste de Confirmação – etapa do TPS em que são verificados se eventuais achados encontrados foram devidamente solucionados antes das Eleições Municipais de 2024.

O que será testado?

Serão submetidas à investigação durante o Teste Público as urnas eletrônicas modelos 2022 e 2020, com os respectivos firmwares (programas que fazem tarefas de controle do hardware) e mídias eletrônicas. Também poderão ser testados o Gerenciador de Dados, Aplicativos e Interface com a Urna Eletrônica (Gedai-UE), Software de Carga, Software de Votação, Sistema de Apuração, Kit JE-Connect, entre outros sistemas previstos no artigo 2º do edital do evento.

“Esse é o momento em que estão, à disposição das investigadoras e dos investigadores, sistemas que são versões preliminares para as Eleições de 2024”, acrescentou Júlio, que esclareceu, ainda, que o Teste da Urna é uma importante etapa de atualização e desenvolvimento dos programas.

Programação

Nesta segunda (27), os testes terminam às 17h. De 28 de novembro a 1º de dezembro, investigadoras e investigadores realizam os trabalhos das 9h às 18h. As atividades diárias do Teste da Urna 2023 podem ser acompanhadas pelo canal do TSE no YouTube em tempo real.

JV/EM, DM

 

O NABALANCANF APENAS REPOSTA A NOTÍCIA QUE SE FEZ PÚBLICA SEM TECER QUALQUER COMENTÁRIO A RESPEITO DA MATÉRIA OU SE RESPONSABILIZAR PELA MESMA. TEM O CUNHO MERAMENTE INFORMATIVO.
Fonte
TSE

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

15 + nove =

Especialista

Olá! você têm alguma dúvida?