STF realiza cerimônia de despedida do ministro Sepúlveda Pertence

Familiares, amigos e autoridades participam do velório do jurista, no Salão Branco do STF

“Apenas, saudade. Ela virá e eu sofro antecipadamente. Esta saudade de quantos conviveram comigo, nesta sala e nesta Casa, que hoje abandono, mas tenho como o maior galardão que a vida me poderia ter propiciado”.

Com essas palavras o ministro Sepúlveda Pertence se despedia do Plenário do Supremo Tribunal Federal (STF), em sua última sessão de julgamentos, antes de se aposentar a pedido. Era uma quinta-feira, 16 de agosto de 2007.

Hoje, dia 3 de junho, quase 16 anos depois, o ministro Sepúlveda Pertence está sendo velado no Salão Branco do STF, em cerimônia repleta de familiares, amigos e autoridades. Faleceu na madrugada de domingo (2), em Brasília, aos 85 anos, em decorrência de insuficiência respiratória.

Nascido em Sabará/MG, em 1937, José Paulo Sepúlveda Pertence chegou ao STF em 1989, nomeado pelo então presidente da República, José Sarney. Assumiu a cadeira deixada pelo ministro Victor Nunes Leal e nela permaneceu por 18 anos, tendo presidido o Tribunal no biênio 1995/1997. Também chegou a presidir o Tribunal Superior Eleitoral (TSE) por duas vezes, a primeira entre junho de 1993 e novembro de 1994 e a segunda no biênio 2003/2005.

Aposentadoria antecipada

Pertence pediu para se aposentar três meses antes de atingir a idade limite, à época de 70 anos. Sempre reconhecido por sua defesa incansável das liberdades individuais e da democracia, pois sentiu na pele peso da perseguição política. Anos antes, fora aposentado compulsoriamente do Ministério Público do Distrito Federal por decisão da Junta Militar com base no AI-5.

Em sua brilhante carreira no sistema de Justiça do país, foi advogado criminalista e teve papel relevante na construção do processo de Anistia a presos políticos. No Ministério Público chegou ao cargo máximo de procurador-geral da República, em 1985. De lá saiu para assumir vaga na Suprema Corte, onde já tinha trabalhado logo após se formar, aos 23 anos de idade, quando chegou a assessorar o ministro Evandro Lins e Silva.

Legado no STF

Como ministro da Suprema Corte foi o relator da questão de ordem no Agravo de Instrumento (AI) 664567, em que o STF estabeleceu os requisitos para a utilização efetiva da repercussão geral. Na ocasião, ele lembrou que analisou a então novidade pelas lentes do ministro Victor Nunes Leal, que, já na década de 1960, defendeu a adoção de um instituto semelhante, ao qual chamou de “arguição de relevância”, mas não teve sucesso na sua implantação.

Pertence foi responsável por três mudanças importantes na jurisprudência do Supremo: a legitimidade das centrais sindicais para questionar a constitucionalidade de leis perante o STF; o fim das ações penais por crime tributário, quando o débito ainda esteja sendo questionado em âmbito administrativo; e a competência da Justiça Trabalhista para julgar ações por danos morais, quando decorrentes de relação empregatícia.

Ele também foi o relator da Arguição de Descumprimento de Preceito Fundamental (ADPF) 77, na qual concedeu medida cautelar suspendendo todos os processos na justiça do país que envolvessem a discussão da legalidade de dispositivo da Lei 8.880/1994, a qual estabeleceu a Unidade Real de Valor (URV) no escopo do Plano Real. A liminar foi referendada pelo Plenário.

Na seara administrativa, Pertence, quando foi presidente do STF, criou o Informativo Semanal do STF, na época era distribuído como um encarte do Diário da Justiça da União e publicado no jornal Gazeta Mercantil. Com o lançamento do Diário da Justiça eletrônico do STF, passou a ser distribuído exclusivamente online.

Velório

O ministro Sepúlveda Pertence está sendo velado no Salão Branco, onde muitas autoridades já compareceram para se despedir. A ministra Cármen Lúcia, amiga de longa data de Pertence foi uma das primeiras a chegar. Também compareceram em seguida o ministro Dias Toffoli e os ministros aposentados Nelson Jobim, Ilmar Galvão e Carlos Velloso, além do ministro da Justiça, Flávio Dino.

O sepultamento do ministro Sepúlveda pertence será às 16h30 no Cemitério Campo da Esperança – Ala dos Pioneiros, em Brasília. A ministra Rosa Weber em razão do falecimento declarou luto oficial de três dias na Corte.

Biografia completa

Informações completas sobre a vida e o legado jurídico do ministro Sepúlveda Pertence podem ser acessadas na pasta dele no portal do STF.


 

 

AR/RP//GR

O NABALANCANF APENAS REPOSTA A NOTÍCIA QUE SE FEZ PÚBLICA SEM TECER QUALQUER COMENTÁRIO A RESPEITO DA MATÉRIA OU SE RESPONSABILIZAR PELA MESMA. TEM O CUNHO MERAMENTE INFORMATIVO.
Fonte
STF

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

1 × 2 =

Especialista

Olá! você têm alguma dúvida?