Segurança do Piauí vai monitorar ônibus e voos para identificar piauienses em atos terroristas no DF: ‘não podemos normalizar o fascismo’

Agentes públicos serão penalizados se forem coniventes com atos de vandalismo, segundo o secretário de segurança pública.

O secretário de segurança pública do Piauí, Chico Lucas, informou em coletiva de imprensa, nesta segunda-feira (9), que vai monitorar empresas de ônibus e voos que tenham partido do Piauí em direção a Brasília. O objetivo é identificar piauienses que tenham participado de atos terroristas, golpistas e antidemocráticos de vandalismo contra as sedes dos 3 Poderes no Distrito Federal.

Chico Lucas comentou os atos desse domingo (8) em comparação com atos anteriores ocorridos no país desde 2013 e disse que o ocorrido não tem precedentes e que não pode ser tolerado ou contar com a conivência de quaisquer agentes públicos.

“Todas as manifestações são legítimas desde que não depredem. Nos atos anteriores, não houve destruição do congresso, do palácio do planalto e do STF. Essa falsa equivalência é perigosa. Antes, não foram atos patrocinados por empresários, não tiveram dinheiro de militantes políticos e não defendiam o fim da política. Não podemos normalizar o fascismo no Brasil. Querem acabar com o estado democrático de direito. Aqui no Piauí não vamos tolerar. Quem achar que é normal não vai contar com nossa leniência”, declarou.

Piauí envia militares para Brasília

Bolsonaristas sobem no Congresso Nacional, em Brasília — Foto: Afonso Ferreira/TV Globo

governador do Piauí Rafael Fonteles informou em uma rede social que determinou que a Secretaria de Segurança do estado auxilie o Ministério da Justiça a investigar se houve participação de piauienses nos atos terroristas.

“Determinei ao Secretário de Segurança do Estado do Piauí para auxiliar o Ministério da Justiça na apuração de eventual participação de piauienses que se deslocaram para participar de atos terroristas no Distrito Federal”, escreveu o governador.

 

Governador do Piauí determina investigação para apurar se piauienses participaram de atos terroristas no DF — Foto: Reprodução

Governador do Piauí determina investigação para apurar se piauienses participaram de atos terroristas no DF — Foto: Reprodução

O governador disse ainda que vai enviar policiais do Batalhão de Choque da Polícia Militar para auxiliar o Governo Federal no Distrito Federal.

Além disso, Rafael Fonteles repudiou o acontecido, que classificou como “atos antidemocráticos” e “vandalismo”, e afirmou que o Governo do Piauí está à disposição do Governo Federal. O governador disse ainda que reforçou a segurança nas sedes dos poderes estaduais do Piauí.

Segundo a assessoria do governador, ele convocou uma reunião de urgência com o comando da Polícia Militar do Piauí neste domingo (8), às 19h, na sede do QCG da PM-PI, para tratar sobre medidas de contenção e prevenção a ataques antidemocráticos.

Atos terroristas na Praça dos Três Poderes

Vândalos invadem e depredam prédios do Congresso, STF e Planalto em Brasília — Foto: REUTERS/Adriano Machado

Bolsonaristas radicais invadiram neste domingo (8) prédios do Congresso Nacional, do Palácio do Planalto e do Supremo Tribunal Federal (STF) em Brasília, promovendo vandalismo e destruição. Os golpistas depredaram o patrimônio público, quebraram vidraças, destruíram documentos.

O presidente Lula decretou intervenção federal no DF e disse que terroristas são encontrados e punidos. Ele nomeou Ricardo Garcia Cappelli como novo responsável pela segurança pública na capital. Cappelli é secretário-executivo do Ministério da Justiça, braço direito do ministro Flávio Dino.

 

O NABALANCANF APENAS REPOSTA A NOTÍCIA QUE SE FEZ PÚBLICA SEM TECER QUALQUER COMENTÁRIO A RESPEITO DA MATÉRIA OU SE RESPONSABILIZAR PELA MESMA. TEM O CUNHO MERAMENTE INFORMATIVO.
Via
Por g1 PI
Fonte
G1

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

dezessete − 4 =

Especialista

Olá! você têm alguma dúvida?