Representantes de Mato Grosso e do governo federal discutem alternativas para proibição da pesca profissional

A audiência de conciliação foi convocada pelo ministro André Mendonça, relator de ações contra lei estadual que proibiu a pesca profissional em MT por cinco anos.

Representantes do governo federal, do governo de Mato Grosso e da Assembleia Legislativa estadual participaram, nesta quinta-feira (25), da primeira audiência de conciliação para discutir a proibição da pesca profissional no estado por cinco anos. Após tratativas e discussões, as partes concordaram em buscar adaptações na lei que possam atender ao interesse de preservação ambiental e, simultaneamente, proteger as populações afetadas pela proibição.

A Procuradoria do Estado de Mato Grosso se comprometeu a trazer aos autos as sugestões de alteração legislativa e de regulamentação que possam solucionar os pontos de controvérsia identificados durante os debates. Em seguida, as partes e as instituições envolvidas devem se manifestar sobre as propostas.

Política da Pesca

O tema é objeto da Ação Direta de Inconstitucionalidade (ADI) 7471, proposta pelo Movimento Democrático Brasileiro (MDB), e da ADI 7541, apresentada pelo Partido Social Democrático (PSD). As ações questionam alterações na Política da Pesca de Mato Grosso (Lei estadual 9.096/2009) promovidas pela Lei estadual 12.197/2023 para proibir a pesca profissional no estado, por cinco anos, a partir de 1° de janeiro deste ano.

Os partidos argumentam que a proibição contraria a legislação federal sobre a matéria, além de colocar em risco a continuidade de vida tradicional e comprometer a sobrevivência das comunidades pesqueiras no estado.

Estoque de peixes

Durante a audiência, Mauro Mendes, governador de Mato Grosso, afirmou que os rios do estado estão tendo redução no estoque de peixes. Segundo ele, a administração estadual se propôs a fornecer uma renda mensal e a oferecer cursos de capacitação profissional aos afetados, mas está disposta a ouvir sugestões de melhorias para a lei.

Perda de renda

Em nome do governo federal, representantes da Advocacia-Geral da União, dos ministérios do Meio Ambiente, da Pesca e Aquicultura e do INSS destacaram a necessidade de compatibilizar os interesses envolvidos e construir uma nova política pesqueira para a região. Também demonstraram preocupação com a perda de renda dos trabalhadores e com o período em que ficariam descobertos pela seguridade social.

Ajuste técnico

Ao final do encontro, que também contou com a participação de representantes dos partidos autores da ação, ficou acertado que as instituições indicarão um representante, com competência em técnica legislativa, para uma reunião de ajuste técnico.

Leia a íntegra do termo de audiência.

PR/AD//CF

O NABALANCANF APENAS REPOSTA A NOTÍCIA QUE SE FEZ PÚBLICA SEM TECER QUALQUER COMENTÁRIO A RESPEITO DA MATÉRIA OU SE RESPONSABILIZAR PELA MESMA. TEM O CUNHO MERAMENTE INFORMATIVO.
Fonte
STF

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

dois × três =

Especialista

Olá! você têm alguma dúvida?