Portal do Conhecimento e Museu da Justiça investem em acessibilidade

Para promover a inclusão digital de pessoas surdas, cegas, com baixo letramento, idosos e disléxicos, entre outras, o site do TJRJ apresenta cada vez mais soluções de acessibilidade.

Desde abril deste ano, o Portal do conhecimento e a página do Museu da Justiça no site do Tribunal oferecem a tecnologia assistiva, que traduz os textos do português para a Língua Brasileira de Sinais (Libras) e para o leitor de voz, por meio da ferramenta Rybená.

A iniciativa do Departamento de Gestão e Disseminação do Conhecimento da Secretaria-Geral de Administração é parte do compromisso do presidente do TJRJ, desembargador Ricardo Cardozo, de priorizar a sustentabilidade e a responsabilidade social.

 

Acesso

Os ícones de acesso estão em destaque na página inicial do site à direita. O primeiro deles é o tradutor de Libras; o segundo leitor de voz; e o terceiro dá mais acessibilidade a quem tem baixa visão por meio de zoom, de espaçamento e de links de destaque, além de guia e máscara de leitura, entre outras possibilidades.

 

Ações no Museu da Justiça

Entre as ações realizadas no Museu da Justiça – Centro Cultural do Poder Judiciário, destaca-se a capacitação dos servidores, terceirizados e estagiários no curso de audiodescrição da Escola Virtual de Governo. A finalidade é tornar vídeos e peças de teatro acessíveis para pessoas cegas ou com baixa visão por meio da tradução das imagens em palavras.

O Museu também tornou disponível os documentários legendados produzidos pelo Museu da Justiça no Portal do Conhecimento. Outra ação de relevância é a descrição das imagens em todas as newsletters (boletins informativos), nos e-mails com convite de eventos e no site do Museu, que apresentam a hashtag “paratodosverem”.

 

Eventos presenciais no Museu

O Museu da Justiça também oferece a acessibilidade em suas dependências. Além de entrada, elevadores e banheiros acessíveis, todos os eventos contam com o trabalho de intérpretes de Libras e a apresentação dos palestrantes com autodescrição.

As ações de acessibilidade nas dependências do Museu são parte do projeto estratégico “Política de revitalização do Museu da Justiça”, proposto para o biênio 2023/2024.

 

Departamento de Comunicação Interna

O NABALANCANF APENAS REPOSTA A NOTÍCIA QUE SE FEZ PÚBLICA SEM TECER QUALQUER COMENTÁRIO A RESPEITO DA MATÉRIA OU SE RESPONSABILIZAR PELA MESMA. TEM O CUNHO MERAMENTE INFORMATIVO.
Fonte
TJRJ

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

15 + doze =

Especialista

Olá! você têm alguma dúvida?