Polícia Militar orienta professores sobre rota de fuga em eventuais casos de violência no ambiente escolar

Treinamento de profissionais das redes estadual e municipais de ensino acontece em Duque de Caxias, Baixada Fluminense

Identificação de perigo, acionamento da polícia, rotas de fuga, esconderijos e controle de ferimentos. Estes foram alguns dos temas abordados durante o treinamento de professores das redes estadual e municipais de ensino, ontem, em Duque de Caxias, na Baixada Fluminense. No Sesi-Caxias, o governador em exercício Thiago Pampolha destacou o importante papel dos professores na garantia da segurança dos estudantes.

“Hoje, é o início desse programa tão necessário. Vocês são parte estratégica e fundamental na segurança dos nossos alunos. O Comitê Intersetorial de Segurança Escolar, criado pelo governador Cláudio Castro, somou forças para dar uma resposta. E a reação mais efetiva deste trabalho está sendo feita agora, a capacitação de vocês. Além disso, também queremos trazer porteiros, vigilantes e inspetores para as escolas, pois sabemos das preocupações que assolam o dia a dia dos colégios”, disse o governador em exercício.

Na primeira etapa do programa “Segurança na Escola”, dado por instrutores da Polícia Militar, foram treinados cerca de 450 professores. O objetivo é que os profissionais aprendam a identificar ações de perigo dentro das escolas e saibam como proceder até a chegada dos agentes de segurança.

“Nosso trabalho é de conscientização. Estamos passando protocolos seguidos pelas forças de segurança e queremos dar orientações para caso aconteça algo nas escolas. São estudos e pesquisas sérias e um time altamente qualificado de instrutores “, afirmou o secretário estadual de Polícia Militar, coronel Luiz Henrique Marinho Pires.

De acordo com a secretária estadual de educação, Roberta Barreto, a adesão ao programa pelos professores é voluntária.

“A escola é um ambiente de paz. Para construirmos e aperfeiçoarmos isso, é necessário o envolvimento de toda a sociedade. Não queremos formar policiais. E, tampouco, expor nossos professores. Queremos, sim, ensiná-los a o que fazer diante de um risco iminente”, explica a secretária.

Além da diretora Viviane Rodrigues, do Colégio Estadual Professora Minervina Barbosa de Castro, o professor Renato Bermudas, diretor do Colégio Estadual Adelina Castro, prometeu compartilhar com os colegas as lições aprendidas com os policiais militares.

“A capacitação veio para somar. Também ficamos contentes com a futura contratação dos porteiros. Isso vai melhorar o convívio no ambiente escolar – destacou Bermudas.

O NABALANCANF APENAS REPOSTA A NOTÍCIA QUE SE FEZ PÚBLICA SEM TECER QUALQUER COMENTÁRIO A RESPEITO DA MATÉRIA OU SE RESPONSABILIZAR PELA MESMA. TEM O CUNHO MERAMENTE INFORMATIVO.
Fonte
JORNAL TERCEIRA VIA

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

dois × 4 =

Especialista

Olá! você têm alguma dúvida?