Plano de Logística Sustentável: TSE incentiva redução do uso de papel e impressões

PLS 2021-2026 ressalta importância de boas práticas ambientais no trabalho

Nesta semana, o Brasil celebra o Dia de Proteção às Florestas, data que busca conscientizar sobre a importância da preservação das matas nacionais e internacionais. Ao lembrar a data, comemorada especificamente no dia 17 de julho, o Tribunal Superior Eleitoral (TSE) ressalta a importância do uso racional de papéis e impressos de maneira sustentável a fim de contribuir para a preservação do meio ambiente. No primeiro semestre de 2023, o TSE utilizou mais de R$ 30 mil em papel próprio, mais que dobrando o investimento de todo o ano passado, quando, em igual período, foram empregados R$ 13 mil com essa finalidade.

A campanha do Plano de Logística Sustentável (PLS) 2021-2026 destaca, neste mês de julho, a redução do uso de papel como um tópico essencial para a adoção de boas práticas no Tribunal. O objetivo do TSE é reduzir o consumo dessa matéria-prima em 5% até 2026, utilizando como parâmetro a média de consumo entre 2018 e 2019. Para impressões, a meta é diminuir 2%, ao ano, do total, considerando o consumo registrado em 2019.

Origem e sustentabilidade

O papel utilizado no TSE tem rastreabilidade, e sua origem é derivada dos insumos de madeira, como itens de papelaria e mobiliário, a partir de fontes de manejo sustentável. A determinação está prevista no artigo 17 da Resolução TSE nº 23.474/2016, cujo texto especifica as exigências que o Tribunal deve observar para efetuar contratações.

Os critérios de sustentabilidade do TSE reforçam o Decreto Federal nº 7.746, de 5 de junho de 2012, que caracteriza como prática sustentável a utilização de produtos florestais madeireiros e não madeireiros originários de manejo florestal sustentável ou de reflorestamento, entre outros exemplos.

Boas práticas na sociedade

O Tribunal incentiva boas práticas não apenas no ambiente interno como também na Justiça Eleitoral de todo o país. Um exemplo disso foi a criação do e-Título, versão digital do título de eleitor, que substitui o documento em papel e já foi emitido por quase 42 milhões de eleitoras e eleitores.

Entre outros atributos, o e-Título possibilita ao eleitor saber o local de votação e justificar a ausência às urnas, bem como a emissão de certidões de quitação eleitoral. Além disso, o e-Título permite pagar multas via PIX, acompanhar o histórico de justificativas eleitorais e gerar um arquivo do título próprio para impressão.

Dicas no ambiente de trabalho

No dia a dia, muitas ações podem auxiliar na redução do consumo de papel e do número de impressões. Utilizar arquivos na versão digital, anotar as atividades em agendas virtuais e imprimir frente e verso de um documento são alguns exemplos que contribuem para uma rotina ambientalmente sustentável. “A tecnologia auxilia na redução do desperdício e no aumento da eficiência. Além disso, permite menor uso de insumos, como o papel e facilita soluções de menor impacto ambiental como o teletrabalho”, afirmou o chefe da Seção de Apoio ao Usuário (SEAU), Luciano Andrade.

IA/EM, DM

O NABALANCANF APENAS REPOSTA A NOTÍCIA QUE SE FEZ PÚBLICA SEM TECER QUALQUER COMENTÁRIO A RESPEITO DA MATÉRIA OU SE RESPONSABILIZAR PELA MESMA. TEM O CUNHO MERAMENTE INFORMATIVO.
Fonte
TSE

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

três × cinco =

Especialista

Olá! você têm alguma dúvida?