Órgão Especial homenageia desembargador Celso Ferreira Filho

“Não me afastarei jamais da certeza de que haverá, no futuro, sombras que sirvam de abrigo a terceiros. Assim, poderei dizer a mim mesmo que, por via oblíqua, não me deixarei aposentar, mantendo de forma humilde e silenciosa a minha função de distribuir justiça”. Com essa declaração, o desembargador Celso Ferreira Filho agradeceu a homenagem que recebeu em sessão realizada nesta segunda-feira (15/8) pelo Órgão Especial do Tribunal de Justiça do Estado do Rio de Janeiro (TJRJ), a última na qual participou antes de sua aposentadoria.

O desembargador recebeu da Corte Fluminense, a Medalha de Honra da Magistratura, entregue pelo desembargador Ricardo Rodrigues Cardozo, presidente do TJRJ; pela esposa Isabel, pelos filhos e por uma das suas netas que estava presente.

Ricardo Cardozo lembrou dos tempos em que os dois trabalharam juntos na então 15ª Câmara Cível: “Foi você quem me ensinou a colocar o toque de humanismo nas minhas decisões. E esse legado você deixou não só para mim, mas para todos. Nós sempre vamos lembrar de você. Essa casa é sempre sua, como de todos os aposentados que se dedicaram ao Tribunal de Justiça”.

O desembargador Edson Aguiar de Vasconcelos representou o Tribunal na cerimônia. Ele falou sobre a trajetória do desembargador Celso Filho como professor, jurista e poeta, e destacou: “O desembargador Celso Ferreira Filho permanecerá neste Tribunal por direito próprio, uma espécie de usucapião afetivo, que se concretiza pela posse direta e exclusiva da amizade, respeito e admiração de todos aqueles que com ele conviveram durante esse longo tempo de magistratura”.

Em vídeo produzido pelo departamento de Comunicação Interna e exibido no plenário do Órgão Especial, familiares, colegas e amigos saudaram o desembargador.

“Nossas ideias e palavras, queridos colegas, inseridas nos julgados que formarão a jurisprudência como fonte do Direito, hão de sobreviver muito além da aposentadoria de todos nós. Portanto, digo-lhes que levo comigo a certeza de que poderemos voar juntos nas asas mágicas das palavras e das ideias”, disse, emocionado, o desembargador Celso filho, que completou 39 anos de magistratura.

Magistrados, membros do Órgão Especial; a presidente da Amaerj, juíza Eunice Haddad; juízes, advogados e servidores estiveram presentes à cerimônia.

 

O homenageado

Celso Ferreira Filho é conhecido por sua integridade. Dedicado à família, é também amante dos esportes, principalmente do vôlei, e frequentador assíduo da praia de Copacabana, seu “bairro sagrado”, como afirma no livro de sua autoria “Crônicas nada Anacrônicas”.

Bacharel e mestre em Direito Privado pela Faculdade Nacional de Direito, foi professor de processo civil por mais de 20 anos. Ministrou aulas em diversas instituições de ensino superior e também na Escola da Magistratura do Estado do Rio de Janeiro. Integrou, em oito oportunidades, a banca do Concurso de Acesso à Magistratura do TJRJ.

Ingressou na magistratura do Estado do Rio de Janeiro em 1984. Foi juiz titular da 3ª Vara de Família, juiz auxiliar da Corregedoria Geral de Justiça (1998 / 2000) e, no ano de 2001, foi promovido a desembargador. Em 2003, passou a integrar a então 15ª Câmara Cível. Dez anos depois, foi eleito pelo Tribunal Pleno como membro do Órgão Especial.

Passou a integrar a 23ª Câmara Cível e foi eleito 3º vice-presidente do Tribunal em 2015. No biênio 2017-2019, foi eleito 2º vice-presidente. Também em 2019, passou a integrar a 2ª Câmara Criminal.

É autor dos livros: “Poemas atemporais”, “Crônicas nada anacrônicas” e “Novos caminhos”.

 

Departamento de Comunicação Interna

Fotos: Rosane Naylor

O NABALANCANF APENAS REPOSTA A NOTÍCIA QUE SE FEZ PÚBLICA SEM TECER QUALQUER COMENTÁRIO A RESPEITO DA MATÉRIA OU SE RESPONSABILIZAR PELA MESMA. TEM O CUNHO MERAMENTE INFORMATIVO.
Fonte
TJRJ

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

onze − nove =

Especialista

Olá! você têm alguma dúvida?