NIS apresenta estratégias e inovações para segurança de magistrado, servidor e usuário

O coordenador do Conselho de Segurança Institucional (CSI) e do Núcleo de Inteligência e Segurança Institucional (NIS), desembargador Sidney Eloy Dalabrida, esteve no Oeste nesta semana (7/11) para reuniões técnicas com magistrados das regionais das comarcas de Chapecó e de São Miguel do Oeste. O encontro teve como foco a apresentação de um estudo sobre o cenário de risco no qual os juízes da região se encontram imersos, tanto no ambiente físico como virtual, bem como os programas desenvolvidos pelo NIS para controle das vulnerabilidades e apoio aos magistrados em situação de ameaça.

Uma das importantes ferramentas oferecidas pelo NIS foi inaugurada no último dia 2 de outubro, o Centro Integrado de Segurança e Monitoramento, que aperfeiçoou o esquema de segurança institucional do Poder Judiciário de Santa Catarina. Até o final do segundo semestre de 2024 serão mais de 4,3 mil câmeras instaladas na sede do TJSC, nas 112 comarcas do estado e nos prédios administrativos, com monitoramento 24 horas por dia.

O sistema pioneiro no judiciário brasileiro funciona na sede do TJSC, em Florianópolis, conta ainda com recursos de reconhecimento facial e de placas, analíticos inteligentes de vídeo, botões de pânico em todas as salas de sessões, de audiência e tribunais do júri, garantindo uma proteção abrangente e sofisticada.

A segurança digital também foi pauta, com orientações sobre como lidar com golpes virtuais e procedimentos para recuperação de contas hackeadas. Com ênfase na qualificação profissional e avanços tecnológicos, o desembargador ressaltou o investimento do Tribunal de Justiça para a aquisição de equipamentos de última geração, inclusive pórticos detectores de metais e scanners de bagagem com raio-x, essenciais para o controle de acesso às unidades judiciárias.

Reunião técnica com magistrados, CSI e NIS.
“Por meio de uma gestão profissional, conseguimos alcançar um nível de maturidade em termos de segurança institucional que nos posiciona em lugar de destaque no cenário nacional”, ressaltou o desembargador, que ainda alertou sobre a necessidade de consolidar o modelo e avançar ainda mais para garantir que o magistrado possa exercer sua missão constitucional com tranquilidade e independência.

Nas reuniões, Dalabrida esteve acompanhado do chefe da Divisão de Inteligência do NIS, delegado Mauro Candido dos Santos Rodrigues, e do chefe da Divisão de Segurança Institucional, tenente-coronel Joanir Ricardo Pereira dos Santos. Os encontros foram, também, oportunidades para coletar contribuições dos magistrados, com o objetivo de aperfeiçoar continuamente as medidas de segurança.

“Ficamos muito satisfeitos com a visita do NIS à comarca de Chapecó, pois nos permitiu conhecer uma série de atendimentos que o órgão está capacitado para prestar aos magistrados no aspecto da segurança e apoio à atividade jurisdicional. Já tínhamos ciência do elevado nível de profissionalismo da equipe capitaneada pelo desembargador Dalabrida e pudemos conhecer projetos em andamento que irão aperfeiçoar ainda mais a segurança institucional, permitindo aos juízes o exercício de suas funções com absoluta tranquilidade”, considerou o juiz diretor do foro da comarca de Chapecó, Jeferson Osvaldo Vieira.

No extremo-oeste, a reunião também foi bem recebida. “As atividades diárias do magistrado são intensas e as decisões, muitas vezes, desagradam uma das partes. Abrimos mão de muitos momentos na vida pessoal por nossa segurança e de nossos familiares. Então, é de extrema importância que tenhamos esse apoio interno para que possamos entregar jurisdição com tranquilidade à nossa comunidade, visando, inclusive, a segurança de nossos usuários. Esse encontro com o NIS trouxe a certeza de que estamos muito bem assistidos com estratégias e equipes de altíssimo nível”, apontou o juiz Raul Bertani de Campos, diretor da comarca de São Miguel do Oeste.

Imagens: Divulgação/Comarca de Chapecó
Conteúdo: Assessoria de Imprensa/NCI
Responsável: Ângelo Medeiros – Reg. Prof.: SC00445(JP)
O NABALANCANF APENAS REPOSTA A NOTÍCIA QUE SE FEZ PÚBLICA SEM TECER QUALQUER COMENTÁRIO A RESPEITO DA MATÉRIA OU SE RESPONSABILIZAR PELA MESMA. TEM O CUNHO MERAMENTE INFORMATIVO.
Fonte
TJSC

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

três + 3 =

Especialista

Olá! você têm alguma dúvida?