LIRAa: índice de infestação para Aedes aegypti de 2,4% é o mais baixo ano

O resultado, embora ainda esteja acima do preconizado pelo Ministério da Saúde, que é de 1,0%

O Centro de Controle de Zoonoses (CCZ) concluiu na última quarta-feira (11) o último Levantamento de Índice Rápido para Aedes aegypti (LIRAa), cuja pesquisa de campo aconteceu entre os dias 2 a 6 de outubro. O resultado de 2.4% é o menor do ano e também inferior o resultado anterior, que ficou em 3.3% no Índice de Infestação Predial (IIP) para Aedes aegypti.

O resultado, embora ainda esteja acima do preconizado pelo Ministério da Saúde, que é de 1,0%, é considerado uma vitória pela direção do CCZ Campos. Em comparação aos resultados anteriores de 5.2, 4.5 e 3.3, (janeiro, maio e agosto), o objetivo foi alcançado, tendo em vista várias circunstâncias adversas, como a constante variação climática, por exemplo.

“Tínhamos o temor de que as constantes variações climáticas dos últimos meses pudessem alterar o resultado. Felizmente isso não aconteceu. O trabalho realizado pelos nossos agentes e também o apoio da população foi essencial para que pudéssemos apresentar esse resultado agora”, destacou o diretor do CCZ, Carlos Morales.

O LIRAa é o mapeamento rápido dos índices de infestação por Aedes aegypti que identifica os criadouros predominantes e a situação de infestação do município. O relatório divulgado nesta segunda-feira (16) já foi enviado para o Ministério da Saúde. Foram inspecionados 8.196 imóveis de 100 bairros que compõem os 19 estratos. O levantamento aponta que a maioria dos focos, assim como no último levantamento, foram encontrados em criadouros móveis, como potes de água para animais, pratos de plantas e outros depósitos inservíveis.

“Esse resultado é fruto de muito trabalho. Não só dos nossos agentes, mas também da população que colabora conosco. Os mutirões intersecretarias e os mutirões do CCZ ajudaram bastante e tornaram esse resultado possível. Agora é esperar o verão que tem uma realidade completamente diferente do restante do ano”, explicou o coordenador do Programa Municipal de Controle de Vetores (PMCV), Claudemir Barcelos.

Visando baixar ainda mais o índice de infestação do Aedes aegypti no município, o CCZ está elaborando novo cronograma de serviços que inclui, além das atividades diárias, mutirões e ações educativas.

Fonte: Prefeitura de Campos

O NABALANCANF APENAS REPOSTA A NOTÍCIA QUE SE FEZ PÚBLICA SEM TECER QUALQUER COMENTÁRIO A RESPEITO DA MATÉRIA OU SE RESPONSABILIZAR PELA MESMA. TEM O CUNHO MERAMENTE INFORMATIVO.
Fonte
JORNAL TERCEIRA VIA

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

3 × 5 =

Especialista

Olá! você têm alguma dúvida?