Justiça Restaurativa auxilia na recepção aos calouros do IFSC com a cultura de paz

Alunos calouros do ensino médio/técnico e técnico do Instituto Federal de Santa Catarina (IFSC) de Lages passaram pela experiência de participar dos círculos de diálogo, escuta e convivência da Justiça Restaurativa (JR). A proposta de desenvolver a atividade de recepção aos 180 novos estudantes com uma abordagem da JR surgiu da própria instituição, que contou com a execução do Instituto Laços, de Florianópolis, e o apoio de servidores da comarca local e da polícia civil no projeto Escola Restaurativa.

Em cada sala, quatro duplas de facilitadoras conduziram a conversa com o intuito de apresentar os integrantes do grupo, criar conexão, empatia, integração e a possibilidade da construção de relacionamentos saudáveis e do não julgamento. No centro de cada ambiente, uma toalha de crochê redonda foi a base para alguns artefatos que representam valores para as turmas. A girafa, um dos símbolos da JR, foi o objeto de fala. Com a pelúcia na mão, cada um teve a oportunidade de falar ou silenciar, em um espaço seguro e respeitoso, sobre si e seus anseios, enquanto o restante do grupo ouvia com atenção.

Materiais utilizados no projeto.

Diretora do Instituto Laços, Rose Duarte explica que o IFSC de Lages é o primeiro município da Serra a receber as atividades do projeto da Escola Restaurativa. “Acreditamos que, com a metodologia da cultura de paz dentro das escolas, teremos mais qualidade no ensino, além de contribuir com a gestão de quadros de ansiedade e depressão, causados e potencializados pelo período de pandemia.” Rose diz ainda que os círculos são ambientes de reflexão e respeito. “A Justiça Restaurativa proporciona a conexão por meio dos valores humanos. Como é importante criarmos espaços de escuta no ambiente escolar! O impacto é muito grande na vida das pessoas.”

Círculo de diálogo no IFSC de Lages.
A assistente social do IFSC, Eliane Correa Costa, facilitadora formada pelo Tribunal de Justiça, foi quem propôs os círculos de acolhimento na escola. “Precisamos fazer essa acolhida mais humanizada aos nossos estudantes porque muitos deles vêm de situações de vulnerabilidade. Queremos que eles se sintam bem por estar conosco.” Quem aceitou participar desse momento como facilitadoras foram as servidoras Maiara Cardoso Soares e Priscila Boeno dos Santos, ambas lotadas na 2ª Vara Criminal. “É sempre muito gratificante poder participar dos círculos. Cada grupo é diferente e também nos traz aprendizados. As pessoas precisam de uma escuta cuidadosa e sem julgamentos”, dizem.

Círculo de diálogo no IFSC de Lages.
Readaptado para a unidade, o servidor Ildemar José da Costa não sabia ao certo o que era Justiça Restaurativa até participar desta ação. “Achei fantástica a abordagem, a forma como a conversa acontece e o resultado que pode proporcionar. Fazer parte do núcleo de JR na comarca será meu novo desafio profissional, e estou muito empolgado porque vou aprender muito, tenho certeza.”

Círculo de diálogo no IFSC de Lages.

Imagens: Divulgação/IFSC-Lages
Conteúdo: Assessoria de Imprensa/NCI
Responsável: Ângelo Medeiros – Reg. Prof.: SC00445(JP)
O NABALANCANF APENAS REPOSTA A NOTÍCIA QUE SE FEZ PÚBLICA SEM TECER QUALQUER COMENTÁRIO A RESPEITO DA MATÉRIA OU SE RESPONSABILIZAR PELA MESMA. TEM O CUNHO MERAMENTE INFORMATIVO.
Fonte
TJSC

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

12 + cinco =

Especialista

Olá! você têm alguma dúvida?