JUIZADO DO TORCEDOR REGISTRA 13 OCORRÊNCIAS NO MARACANÃ NA FINAL DA COPA LIBERTADORES

Notícia publicada por Assessoria de Imprensa em 05/11/2023 15:14

A partida final da Copa Libertadores entre Fluminense e Boca Juniors , realizada ontem (4/11) no Maracanã, o Posto Avançado do Juizado do Torcedor e dos Grandes Eventos do Tribunal de Justiça do Rio registrou 13 ocorrências com 27 pessoas envolvidas, relacionadas a estelionato, falsificação de documentos, porte de material pirotécnico, credenciais e ingressos falsificados, danificação de bens do estádio e ameaça e importunação sexual.

Na ocorrência envolvendo estelionato, quando foram presos em flagrante, sete brasileiros e quatro argentinos, foram decretadas as prisões preventivas de Marcelo Blajifeder Roselli e Eduardo Barbosa Pereira. Aos demais nove acusados de envolvimento foi concedida liberdade provisória.

Em relação ao caso de ameaça e importunação sexual, foi oferecida denúncia contra Daniel de Almeida Montenegro. Por se tratar de crime com pena mínima igual ou inferior a um ano, o processo foi suspenso, na forma do artigo 89 da Lei nº 9.099/95,

Já em relação a ocorrência de falsificação de documentos, os acusados, Emídio Rodrigues Magalhães Nogueira e João Luiz Nogueira da Costa, ambos residentes em Brasília – DF, o Juizado do Torcedor efetuou a homologação do registro de ocorrência lavrado pela autoridade policial e determinou a remessa dos autos ao TJDF e ao Cadastro Nacional de Mandado de Prisão.

Também foram recolhidos ingressos e credenciais falsificadas e materiais pirotécnicos, resultando na retirada dos envolvidos do estádio. Foram registradas, ainda, duas transações penais via pix em favor da Instituição Colibri, feitas por torcedores que provocaram tumultos no estádio e ainda, uma composição civil, relacionada a quebra de uma cadeira do estádio. O acusado efetuou pagamento via pix em favor do Clube de Regatas Flamengo, um dos administradores do estádio, referente ao valor do material danificado.

JM/FS

Foto/Divulgação

 

O NABALANCANF APENAS REPOSTA A NOTÍCIA QUE SE FEZ PÚBLICA SEM TECER QUALQUER COMENTÁRIO A RESPEITO DA MATÉRIA OU SE RESPONSABILIZAR PELA MESMA. TEM O CUNHO MERAMENTE INFORMATIVO.
Fonte
TJRJ

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

19 − dezenove =

Especialista

Olá! você têm alguma dúvida?