Homenageados do Novos Caminhos, na Foz do Rio Itajaí, recebem incentivo para sonhar

Três depoimentos emocionantes marcaram a cerimônia de encerramento das atividades de 2023 do Programa Novos Caminhos (PNC) na região da Foz do Rio Itajaí nesta semana (11/12), que contou com a presença do coordenador estadual da Infância e Juventude do Tribunal de Justiça de Santa Catarina (CEIJ/TJSC), desembargador Álvaro Luiz Pereira de Andrade. Os 44 adolescentes homenageados na região puderam ouvir relatos de pessoas que, assim como eles, passaram por situações difíceis, mas encontraram uma forma de superar os obstáculos.

“Eu comecei (a estudar) porque eu queria fazer uma mudança na minha vida, não queria ficar parado. Aí eu fiz os meus cursos, comecei a fazer mais, estudei mais e agora eu sou contratado por uma empresa. Isso me levou ao raciocínio de que, se eu quero alguma coisa, eu não posso ficar parado por muito tempo ou esperar que alguém vai estar sempre ali para me ajudar, apesar de ter. A gente tem que correr atrás do que a gente quer, seja demorado, seja difícil, quanto mais a gente corre atrás do nosso objetivo mais a gente alcança ele no final, como a gente espera, como a gente planeja”, compartilhou R.E.S.J., de 15 anos, egresso do serviço de acolhimento.

Em sua fala, o juiz Fernando Machado Carboni, da Vara da Infância, Juventude e Anexos da comarca de Itajaí, enalteceu o projeto que oportuniza a qualificação de adolescentes e auxilia a entrada deles no mercado de trabalho. “Entre todos os programas e projetos que o Poder Judiciário Catarinense faz parte, sem dúvida o que me traz mais alegria e orgulho é o Programa Novos Caminhos”.

Durante a solenidade, que ocorreu no auditório do SENAI Itajaí, foram entregues os diplomas para os adolescentes que concluíram diversas oficinas ao longo do ano. Na mesma ocasião receberam homenagens as empresas que empregaram os jovens e que apoiam a iniciativa, bem como os voluntários. Participaram ainda do ato solene, representantes do SENAI e da Fiesc.

“Como não ser entusiasta de um programa que nos possibilita ser ponte. Ponte entre aqueles que têm a invisibilidade e a certeza de um caminho incerto e entre aqueles que tem um Poder de poder oportunizar um novo caminho. Um programa que une tantas parcerias privadas e  da sociedade civil que mediante a responsabilidade social possibilitam complementar as incompletudes do poder público tornando-se visionário para transformar vidas. Gostaria de destacar que o ano de 2023 foi um marco no programa, pois tivemos ofertas de vagas de empregos além da disponibilidade de adolescentes para assumir, pois alguns não se enquadravam nos critérios”, observou a assistente social da Vara da Infância e Juventude da comarca de Itajaí e interlocutora do PNC na região, Francilene Laureano Moreira Krzisch.Outro depoimento emocionado e emocionante foi o de Dina Sodre da Silva. Ela contou aos presentes sua experiência de vida, repleta de desafio, más escolhas e que após muito esforço e dedicação teve um final feliz. Ao perder os pais em 2007, ela foi acolhida institucionalmente e não lidou bem com a situação, piorou nos estudos, foi expulsa da escola e teve até de prestar serviço comunitário, mas ao ver o esforço de outros, virou a chave e viu a vida mudar:

“Comecei a refletir que não estava sendo sábia nas minhas escolhas. Aquilo me fez pensar que eu precisava fazer alguma coisa, eu decidi segui o caminho da minha irmã. Fui em busca de trabalho, me apresentei, me deram oportunidade e eu fui, eu peguei gosto por trabalhar. Vi uma oportunidade de me tornar diferente, trabalhei, estudei. Hoje eu atendo a rede Fiesc, eu tenho a empresa Cantina do Sabor. No meio do caminho quando eu quis mudar a rota, quando eu quis fazer diferente, eu me convenci de que eu precisava fazer alguma coisa. E vocês estão no caminho certo, deem o seu melhor. A vida e uma dádiva, é algo muito precioso. Eu desejo um futuro de sucesso para vocês. Que amanhã sejam vocês inspirando outros jovens”, reforçou.

Inspirada e inspiradora, uma das adolescentes em situação de acolhimento institucional compartilhou que está prestes a publicar um livro, fase que ela chama de recomeço. ”Eu estou vivendo e desfrutando deste recomeço há dois meses. Consegui superar todos os traumas e consegui escrever o meu livro. Gostaria que vocês falassem sobre o que causa incômodo em vocês. Se expressem de alguma forma, tentem achar um tempo para se expressar”, incentivou A.S., de 15 anos.

Entre os destaques da região da Foz do Rio Itajaí neste ano estão a parceria com a Universidade do Vale do Itajaí (Univali), com a concessão de bolsa de 80% do valor da mensalidade a um egresso que encontra-se na graduação no curso de Produção Audiovisual, o início da parceria com Projeto Escolhas – o qual possibilita reflexões de autoconhecimento, projeto de vida para efetivas escolhas por parte dos adolescentes, a parceria com a Associação de Bares e restaurantes da região e o trabalho com os egressos, muitos desacolhidos há mais de um ano, mas que seguem no usofruto das oportunidades ofertadas pelo Programa Novos Caminhos, os fortalecendo a se manter num projeto de vida.

Programa

O Programa Novos Caminhos (PNC) foi fundado em 2013, pelo Termo de Cooperação n. 175/2013, assinado entre o Poder Judiciário Catarinense (PJSC), a Associação de Magistrados Catarinenses (AMC) e a Federação das Indústrias do Estado de Santa Catarina (FIESC/SESI/SENAI). Ao longo de sua existência e por meio de Termos Aditivos ao original, outras instituições tornaram-se parceiras: Ordem dos Advogados do Brasil/Santa Catarina (OAB/SC); Ministério Público de Santa Catarina (MPSC); Serviço Nacional de Aprendizagem Comercial e Serviço Social do Comércio (SENAC/SESC/Fecomércio/SC); Associação Catarinense de Medicina (ACM); Fundação de Estudos Superiores de Administração e Gerência (FESAG); Serviço Nacional de Aprendizagem Rural (SENAR/FAESC) e Centro de Integração Empresa-Escola do Estado de Santa Catarina (CIEE/SC).

 

Imagens: Divulgação/Programa Novos Caminhos
Conteúdo: Assessoria de Imprensa/NCI
Responsável: Ângelo Medeiros – Reg. Prof.: SC00445(JP)
O NABALANCANF APENAS REPOSTA A NOTÍCIA QUE SE FEZ PÚBLICA SEM TECER QUALQUER COMENTÁRIO A RESPEITO DA MATÉRIA OU SE RESPONSABILIZAR PELA MESMA. TEM O CUNHO MERAMENTE INFORMATIVO.
Fonte
TJSC

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

doze + dezessete =

Especialista

Olá! você têm alguma dúvida?