Foragida que apresentou identidade falsa para polícia recebe mais 2 anos de reclusão

A 4ª Câmara Criminal do Tribunal de Justiça de Santa Catarina manteve a decisão de condenar uma mulher que apresentou documento de identidade falso para policiais em cidade da Grande Florianópolis. A pena foi fixada em dois anos de reclusão em regime semiaberto, além do pagamento de 10 dias-multa. A sentença foi prolatada na 2ª Vara Criminal da comarca de Palhoça.

Os policiais responsáveis pela prisão afirmaram que teriam informações sobre uma foragida do sistema prisional, que possuía dois mandados de prisão e era faccionada. Após algumas semanas, avistaram a ré e solicitaram sua identidade. O documento apresentado era falso. Após indagarem se a ré possuía algo ilícito na residência, ela confessou sua identidade verdadeira. Em exames periciais ficou provado que de fato o documento era falso, pois não apresentava alguns dos elementos de segurança.

Em recurso ao TJ, a acusada postulou a desconstituição da sentença aplicada, e alternativamente requereu a substituição da pena privativa de liberdade pela restritiva de direito ou ainda pela minoração da reprimenda. No entanto, o desembargador relator ressaltou: “É nítido que o juízo a quo fixou regime para cumprimento da pena adequado ao caso concreto. Visto que a ré é reincidente, a pena restritiva de direitos não poderia ser aplicada”, explicou (Apelação Criminal Nº 5018360-45.2022.8.24.0045).

Imagens: Divulgação/Pixabay
Conteúdo: Assessoria de Imprensa/NCI
Responsável: Ângelo Medeiros – Reg. Prof.: SC00445(JP)
O NABALANCANF APENAS REPOSTA A NOTÍCIA QUE SE FEZ PÚBLICA SEM TECER QUALQUER COMENTÁRIO A RESPEITO DA MATÉRIA OU SE RESPONSABILIZAR PELA MESMA. TEM O CUNHO MERAMENTE INFORMATIVO.
Fonte
TJSC

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

10 + 17 =

Especialista

Olá! você têm alguma dúvida?