Espanha vê ‘traço trumpista’ no ataque bolsonarista no Brasil; veja repercussão de líderes internacionais

Vândalos depredaram prédios do Congresso Nacional, do Palácio do Planalto e do STF neste domingo (8).

O governo espanhol disse nesta segunda-feira (9) que vê um “traço trumpista” no assalto às sedes do poder no Brasil e advertiu que o “ressurgimento de movimentos ultradispostos a atropelar tudo” é a maior ameaça à democracia.

“Há um traço, digamos, trumpista, na forma como agiram ontem (domingo), com extremistas de direita mobilizados entrando no Congresso”, afirmou o ministro das Relações Exteriores, José Manuel Albares, em entrevista à rádio Cadena Ser.

 

Apoiadores do ex-presidente Jair Bolsonaro também invadiram o Palácio do Planalto e Supremo Tribunal Federal em Brasília, em incidentes que lembram os ataques de 6 de janeiro de 2021 ao Capitólio, em Washington, D.C., por parte de simpatizantes do então presidente americano, Donald Trump.

Para Albares, “o padrão de atuação” dos bolsonaristas é “praticamente idêntico” ao dos seguidores de Trump na capital americana.

Os acontecimentos no Brasil “nos recordam qual é a maior ameaça que pesa sobre a democracia, a paz e a prosperidade no mundo (…) e é o ressurgimento de movimentos ultradispostos a atropelar tudo“, afirmou, por sua vez, o presidente de governo, o socialista Pedro Sánchez, em um evento em Madri com embaixadores espanhóis.

Na noite de domingo, Sánchez havia manifestado no Twitter seu apoio ao presidente Luiz Inácio Lula da Silva, assim como “às instituições livre e democraticamente eleitas pelo povo brasileiro” e sua contundente condenação ao “assalto ao Congresso do Brasil”.

Veja abaixo mais reações de outros líderes internacionais:

 

Joe Biden, presidente dos Estados Unidos

 

“Condeno o atentado à democracia e à transferência pacífica de poder no Brasil. As instituições democráticas do Brasil têm todo o nosso apoio e a vontade do povo brasileiro não deve ser abalada. Estou ansioso para continuar a trabalhar com Lula.”.

Alberto Fernández, presidente da Argentina

 

“A democracia é o único sistema político que garante as liberdades e nos obriga a respeitar o veredicto popular.

Aqueles que tentam desrespeitar a vontade da maioria ameaçam a democracia e merecem não só a sanção legal correspondente, mas também a rejeição absoluta da comunidade internacional.

Quero expressar meu repúdio ao que está acontecendo em Brasília. Meu apoio incondicional e do povo argentino a Lula diante dessa tentativa de golpe que vocês estão enfrentando.”

“Demonstremos com firmeza e unidade nossa total adesão ao governo eleito democraticamente pelos brasileiros encabeçado pelo presidente Lula.

Estamos juntos com o povo brasileiro para defender a democracia e não permitir nunca mais a volta dos fantasmas golpistas promovidos pela direita.”

Kremlin (governo russo)

 

“Nós apoiamos totalmente o presidente Lula e condenamos as ações em Brasília”

Emmanuel Macron, presidente da França

 

“A vontade do povo brasileiro e das instituições democráticas deve ser respeitada! O presidente Lula pode contar com o apoio inabalável da França.”

Giorgia Meloni, primeira-ministra da Itália

 

“O que está acontecendo no Brasil não pode nos deixar indiferentes. As imagens da irrupção nos gabinetes institucionais são inaceitáveis e incompatíveis com qualquer forma de dissidência democrática. É urgente um retorno à normalidade e nos solidarizamos com as instituições brasileiras.”

Rishi Sunak, primeiro-ministro do Reino Unido

 

“Condeno qualquer tentativa de minar a transferência pacífica do poder e a vontade democrática do povo brasileiro. O presidente @LulaOficial e seu governo contam com o total apoio do Reino Unido, e estou ansioso para fortalecer os laços estreitos de nossos países nos próximos anos.”

António Guterres, secretário-geral da ONU

 

“Condeno o ataque de hoje às instituições democráticas do Brasil. A vontade do povo brasileiro e das instituições do país deve ser respeitada. Estou confiante de que assim será. O Brasil é um grande país democrático.”

Narendra Modi, primeiro-ministro da Índia

“Profundamente preocupado com a notícia de motim e vandalismo contra as instituições do Estado em Brasília. As tradições democráticas devem ser respeitadas por todos. Estendemos nosso total apoio às autoridades brasileiras”.

Andrés Manuel López Obrador, presidente do México

“Condenável e antidemocrática a tentativa de golpe dos conservadores no Brasil incentivados pelas lideranças do poder oligárquico, seus porta-vozes e fanáticos. Lula não está sozinho, tem o apoio das forças progressistas de seu país, do México, do continente americano e do mundo.”

Gabriel Boric, presidente do Chile

 

“Ataque inaceitável aos três poderes do Estado brasileiro pelos bolsonaristas. O governo brasileiro tem todo o nosso apoio diante desse covarde e vil ataque à democracia.”

Gustavo Petro, presidente da Colômbia

 

“Toda minha solidariedade a Lula e ao povo do Brasil. O fascismo decide atacar. As direitas não têm conseguido manter o pacto de não-violência. É hora urgente da reunião da OEA se ela quiser seguir viva como instituição e aplicar a carta democrática.

Propusemos fortalecer o sistema interamericano de direitos humanos aplicando as normas vigentes e ampliando a carta aos direitos da mulher, ambientais e coletivos, mas a resposta são golpes parlamentares ou golpes violentos da extrema direita.”

Mario Abdo Benítez, presidente do Paraguai

 

“Estamos acompanhando com preocupação os acontecimentos que estão ocorrendo no Brasil. O caminho deve ser sempre o respeito às instituições, à democracia, à liberdade e à não-violência.”

Guillermo Lasso, presidente do Equador

 

“Codeno as ações de desrespeito e vandalismo perpretradas contra as instituições democráticas de Brasília, pois atentam contra a ordem democrática e a segurança cidadã. Manifesto o meu apoio e o do meu governo ao regime legalmente constituído de Lula.”

Nicolás Maduro, presidente da Venezuela

 

“Rejeitamos categoricamente a violência gerada pelos grupos neofascistas de Bolsonaro que têm agredido as instituições democráticas do Brasil. Nosso apoio a Lula e ao povo brasileiro que, com certeza, se mobilizará em defesa da paz e de seu presidente.”

Pedro Sánchez, presidente da Espanha

 

“Todo meu apoio ao presidente Lula e às instituições eleitas livre e democraticamente pelo povo brasileiro. Condenamos veementemente o assalto ao Congresso do Brasil e pedimos o retorno imediato à normalidade democrática.”

Justin Trudeau, presidente do Canadá

 

“Respeitar a vontade democrática do povo é fundamental em qualquer democracia – inclusive no Brasil. O Canadá condena veementemente o comportamento violento ali exibido hoje e reafirmamos nosso apoio ao presidente Lula e às instituições democráticas do Brasil.”

Miguel Díaz-Canel, presidente de Cuba

 

“Condenamos veementemente os atos violentos e antidemocráticos ocorridos no Brasil, com o objetivo de gerar caos e desrespeitar a vontade popular manifestada com a eleição do presidente Lula. Expressamos todo nosso apoio e solidariedade a Lula e a seu governo.”

Xiomara Castro, presidente de Honduras

 

“Em nome do povo hondurenho, manifesto meu apoio incondicional ao presidente Luiz Inácio Lula da Silva contra o fascismo já derrotado no Brasil. Convoco os presidentes da América Latina a se deslocarem para o Brasil, se necessário, para defender a democracia.”

Antony Blinken, secretário de Estado dos EUA

 

“Condenamos os ataques à Presidência, ao Congresso e ao Supremo Tribunal Federal hoje. Usar a violência é sempre inaceitável. Nós nos juntamos a Lula para pedir o fim imediato dessas ações.”

Santiago Cafiero, ministro de Relações Exteriores da Argentina

 

“Diante das ações golpistas da direita no Brasil, expressamos nossa solidariedade a Lula e levantamos nossas vozes em defesa da democracia brasileira.”

Marcelo Ebrard, secretário de Relações Exteriores do México

 

“Diante dos acontecimentos no Brasil, manifestamos o total apoio do México ao governo do presidente Lula, eleito por vontade popular. Rejeitamos qualquer tentativa contra as instituições democráticas que esta nação irmã estabeleceu.”

Luis Almagro, secretário-geral da Organização dos Estados Americanos (OEA)

 

“Condenamos o ataque às instituições em Brasília, que constitui uma ação condenável e um ataque direto à democracia. Essas asções são indesculpáveis e de natureza fascista.”

Ignacio Ybañez, embaixador da União Europeia no Brasil

 

“Seguindo com grande preocupação os atos antidemocráticos e as ações violentas na Praça dos Três Poderes, em Brasília. Todo o nosso apoio às instituições brasileiras.”

Ministério de Relações Exteriores do Equador

 

“O Equador condena os acontecimentos contra a institucionalidade no Brasil e reitera seu apoio irrestrito à democracia e ao governo legitimamente eleito.”

Embaixada dos EUA no Brasil

 

“A mídia e a polícia relatam que um protesto antidemocrático se tornou violento e agora está ocupando áreas do centro de Brasília, incluindo o Congresso Nacional Brasileiro e áreas ao redor da Praça dos 3 Poderes.

As forças policiais brasileiras estão respondendo. Cidadãos dos EUA são avisados para evitar a área até novo aviso.”

O NABALANCANF APENAS REPOSTA A NOTÍCIA QUE SE FEZ PÚBLICA SEM TECER QUALQUER COMENTÁRIO A RESPEITO DA MATÉRIA OU SE RESPONSABILIZAR PELA MESMA. TEM O CUNHO MERAMENTE INFORMATIVO.
Fonte
G1

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

quinze − 6 =

Especialista

Olá! você têm alguma dúvida?