Emag promove palestra sobre superaprendizagem

Juiz federal George Marmelstein Lima tratou de métodos de processamento da informação 

A Escola de Magistrados da Justiça Federal da 3ª Região (Emag) promoveu, no dia 10/3, a palestra “Vamos conversar sobre superaprendizagem”. O palestrante foi o juiz federal do Ceará e professor de Direito George Marmelstein Lima.

O evento, voltado a magistrados e servidores, ocorreu na modalidade híbrida, no auditório da escola e pela plataforma Zoom. O diretor da Emag, desembargador federal Nino Toldo, fez a abertura do encontro.

De acordo com George Marmelstein, a aprendizagem é um desafio contínuo. Autor do livro “Superaprendizagem – A ciência da alta performance cognitiva”, ele relatou que começou a utilizar métodos simplificados de estudo para concursos públicos.

Com a obtenção de resultados positivos, tornou-se juiz federal aos 23 anos de idade. A partir daí, passou a usar metodologia sistematizada.

“A superaprendizagem não é fórmula de aprovação, é um aprimoramento cognitivo constante e necessário à medida em que os desafios se tornam mais complexos”, disse.

Ele explicou que a aprendizagem é a construção de conexões neurais, processo dinâmico de entrada (input) e uso da informação (output).

Ler; assistir a aulas, palestras e documentários; ouvir podcasts e audiolivros são atividades de “input”. Já dar aula, anotar e resumir; elaborar mapa mental; escrever sobre o tema; resolver questões são ações de “output”.

“Na aprendizagem você recebe estímulos do meio ambiente e o cérebro transforma em memória de longo prazo”, frisou.

Ele considera a leitura como o “input” mais eficiente de aprendizado. “Entretanto, pode se tornar ineficiente se não for utilizado com métodos para consolidar a informação”, ponderou.

O juiz federal falou dos sete pilares da superaprendizagem: mentalidade, motivação, escolhas, tempo, descanso, hábitos e treinos. Também destacou a importância em seguir a curiosidade intelectual, preencher a vida com inteligência e aprimorar-se de modo contínuo e paciente.

Palestra tratou de métodos de processamento da informação (Foto: Acom/TRF3)

O palestrante enfatizou que cada pessoa possui um horário biológico com máxima capacidade de energia, foco, criatividade, motivação e destacou a relevância do descanso deliberado.

“O aprendizado é um sistema de vida que consiste em organização de tempo e atenção, controle de hábitos e rotinas, conexão e engajamento e automonitoramento”, concluiu.

Assessoria de Comunicação Social do TRF3

Siga a Justiça Federal da 3ª Região nas redes sociais:
TRF3: InstagramFacebookTwitter e Linkedin
JFSP: InstagramFacebook e Twitter
JFMS: Instagram e Facebook

Assessoria de Comunicação Social do TRF3

Email: acom@trf3.jus.br

O NABALANCANF APENAS REPOSTA A NOTÍCIA QUE SE FEZ PÚBLICA SEM TECER QUALQUER COMENTÁRIO A RESPEITO DA MATÉRIA OU SE RESPONSABILIZAR PELA MESMA. TEM O CUNHO MERAMENTE INFORMATIVO.
Fonte
TRF3

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

4 + 9 =

Especialista

Olá! você têm alguma dúvida?