DIA MUNDIAL DA RECICLAGEM: PALESTRA MARCA COMEMORAÇÃO DA DATA COM INCENTIVO A AÇÕES SUSTENTÁVEIS

Como podemos resolver a questão do lixo no mundo? Segundo o diretor-executivo do Instituto Fecomércio de Sustentabilidade, Vinícius Crespo, a solução está na economia circular. “Precisamos otimizar os recursos naturais antes de qualquer coisa. Os alicerces da economia circular são o consumo consciente, melhorias nos processos de fabricação, circularidade dos resíduos e educação ambiental”, afirmou Crespo durante palestra sobre a importância da reciclagem na redução do uso dos recursos naturais realizada nesta quarta-feira (17/5), na Escola da Magistratura do Estado do Rio de Janeiro (Emerj), marcando o Dia Mundial da Reciclagem.

A abertura do evento foi feita pelo presidente do Tribunal de Justiça do Estado do Rio de Janeiro (TJRJ), desembargador Ricardo Rodrigues Cardozo, que citou que o Brasil é o quarto maior produtor de lixo plástico do mundo.

“Deve haver a conscientização da nossa responsabilidade para dar um pouco de nós para evitar a catástrofe, devemos agir. Há materiais que demoram anos, décadas, séculos para se decompor”, alertou o magistrado, destacando que devemos pensar no comprometimento do nosso bem-estar e no das gerações futuras.

Vinícius Crespo destacou que os cinco países que mais reciclam no mundo são Alemanha, Coréia do Sul, Áustria, Eslovênia e Bélgica e que, no Brasil, apenas 4% dos resíduos sólidos que poderiam ser reciclados são destinados a este processo.  Ainda de acordo com o palestrante, 72% dos brasileiros não separam o lixo entre comum e reciclável.  O país destaca-se apenas na reciclagem de alumínio, ocupando o primeiro lugar, seguido de países como Alemanha, Finlândia e Japão. O diretor do Fecomércio afirmou ainda que para a economia circular são necessárias políticas públicas, conscientização do mercado e do consumidor. “O grande protagonista da economia circular é o consumidor”, disse.

O padre Omar Raposo, reitor do Santuário Arquidiocesano Cristo Redentor, destacou que o tema é de grande importância e que a sustentabilidade envolve o tripé econômico, social e ambiental.  “Todo mundo tem grande responsabilidade para que esta pauta aconteça. Devemos criar núcleos de reflexão, fomentar bate-papos, reposicionar as mentes, começar com boas práticas sustentáveis dentro de casa, como cuidar do consumo de água e do desperdício”.

Compareceram ainda ao evento a presidente da Comissão de Políticas Institucionais para a Promoção da Sustentabilidade do Tribunal de Justiça do Rio, desembargadora Teresa de Andrade Castro Neves; a juíza auxiliar da Presidência Ana Paula Monte Figueiredo Pena Barros e o secretário-geral de Sustentabilidade e Responsabilidade Social, Antonio Francisco Ligiero.

SP/ MB

Fotos: Felipe Cavalcanti/TJRJ

O NABALANCANF APENAS REPOSTA A NOTÍCIA QUE SE FEZ PÚBLICA SEM TECER QUALQUER COMENTÁRIO A RESPEITO DA MATÉRIA OU SE RESPONSABILIZAR PELA MESMA. TEM O CUNHO MERAMENTE INFORMATIVO.
Fonte
TJRJ

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

dezoito − dois =

Especialista

Olá! você têm alguma dúvida?