DESEMBARGADORA DO TJRJ PARTICIPA DE FÓRUM NOS ESTADOS UNIDOS SOBRE PODER JUDICIÁRIO BRASILEIRO

A desembargadora do Tribunal de Justiça do Estado do Rio de Janeiro (TJRJ), Cristina Gaulia, participou do “I Fórum de Desafios Atuais do Poder Judiciário e do Ministério Público: o caso do Brasil”, realizado em Washington, Estados Unidos. O evento foi realizado entre os dias 23 e 26 de maio e contou com as presenças dos ministros Luís Roberto Barroso, do Supremo Tribunal Federal (STF), Herman Benjamin e Sebastião Reis Junior, do Superior Tribunal de Justiça (STJ), e do secretário de Assuntos Jurídicos da Organização dos Estados Americanos (OEA) Jean Michel Arrighi, entre outras autoridades.

Durante os três dias de evento, foram discutidos assuntos relevantes para o Direito, como democracia, proteção dos direitos humanos e independência funcional dos magistrados e dos membros do MP.

“O Fórum foi extremamente interessante, fruto de um esforço de cooperação acadêmica que a gente espera que se torne permanente, entre a OEA e as instituições brasileiras do meio jurídico. É importante essa dinâmica nesse ambiente de diálogo, de construção de pontes, de troca de experiências jurídicas entre os países das Américas”, considerou a desembargadora Cristina Gaulia.

A magistrada participou do painel sobre “Boas práticas no Judiciário e no MP” e apresentou o tema “Justiça Itinerante: o espaço de encontro do Poder Judiciário com a população brasileira”.

“A Justiça Itinerante é uma política pública do Judiciário brasileiro e, principalmente, do Estado do Rio, do qual já colhemos vários frutos. Ela tem por finalidade atender populações invisíveis para garantir direitos fundamentais e fortalecer a cidadania. Atendemos os bolsões de pobreza, internos do sistema penitenciário, trabalhadoras do sexo nas zonas de prostituição, pessoas LGBTQIA+, povos originários, enfim, uma série de populações vulneráveis e que não tem acesso à Justiça”, explicou.

O próximo Fórum será realizado em novembro em Belém, no estado do Pará.

MG/ MB

O NABALANCANF APENAS REPOSTA A NOTÍCIA QUE SE FEZ PÚBLICA SEM TECER QUALQUER COMENTÁRIO A RESPEITO DA MATÉRIA OU SE RESPONSABILIZAR PELA MESMA. TEM O CUNHO MERAMENTE INFORMATIVO.
Fonte
TJRJ

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

16 − quatro =

Especialista

Olá! você têm alguma dúvida?