DESEMBARGADOR RICARDO CARDOZO TOMA POSSE COMO PRESIDENTE DO TJRJ NO PRÓXIMO DIA 3 DE FEVEREIRO

Um sonho, um objetivo, uma missão. Assim o desembargador Ricardo Rodrigues Cardozo define o desafio de assumir a Presidência do Tribunal de Justiça do Estado do Rio de Janeiro (TJRJ). “Desde quando ingressei na Magistratura, busquei me preparar, me atualizar e conhecer todas as atividades do Tribunal para um dia presidi-lo”, revelou o atual corregedor-geral da Justiça, que será empossado presidente do Poder Judiciário fluminense na sexta-feira (3/2). A cerimônia de posse está marcada para as 14h no Plenário da Lâmina Central, na Rua Dom Manuel s/nº, 10º andar (Fórum Central), com transmissão em tempo real pelo canal oficial do PJERJ no YouTube.

Eleito, em primeiro escrutínio, com o voto de 99 dos 185 desembargadores que participaram da sessão do Tribunal Pleno do dia 12 de dezembro do ano passado, o magistrado anunciou, na ocasião, que trabalhará por um tribunal unido, moderno e preparado para o futuro. “Aprendi a conhecer o Tribunal nos diversos cargos de administração que exerci e, hoje, os senhores tenham certeza de que estou pronto para assumir a Presidência. Eu conheço o Tribunal, estou pronto para dar continuidade, modernizar, garantir os direitos que todos nós temos”, declarou o desembargador que ocupou os cargos de corregedor-geral da Justiça, no biênio 2021/2022; diretor-geral da Escola da Magistratura do Estado do Rio de Janeiro, no biênio 2017/2018; e presidente da Comissão de Políticas Institucionais para Eficiência Operacional e Qualidade dos Serviços Judiciais (Comaq), no biênio 2015/2016.

À frente da Presidência do TJRJ, o desembargador Ricardo Cardozo pretende promover uma reforma administrativa na estrutura do Tribunal e dar continuidade à renovação digital do Poder Judiciário fluminense iniciada na gestão do desembargador Henrique Carlos de Andrade Figueira. “Vamos adotar um plano de gestão para impulsionar projetos dividido em três áreas de governança: institucional, administrativa e tecnológica”, adiantou. Ainda de acordo com o presidente do TJRJ eleito para o biênio 2023/2024, serão priorizados os investimentos em tecnologia e o desenvolvimento da inteligência artificial.

Em busca de uma administração participativa, descentralizada, moderna, eficiente, colaborativa e com continuidade administrativa, o desembargador Ricardo Cardozo, então candidato a presidente do TJRJ, enviou a todos os magistrados e servidores, em agosto de 2022, os projetos que tinha a intenção de  empreender caso fosse eleito, tais como o aprimoramento dos canais de comunicação interna e externa, sempre buscando a transparência e a participação democrática dos servidores e da sociedade fluminense, a criação das secretarias de Responsabilidade Social e Sustentabilidade e de Governança, a construção de novos fóruns em Magé e Seropédica, a modernização do parque tecnológico, a utilização de robôs como ferramentas de TI e a integração dos diversos sistemas de informática, entre outros.

“Eu tenho projetos e sei do que o Tribunal precisa. A experiência na Emerj e na Corregedoria me deram uma visão macro do Tribunal para saber o que eu realmente preciso para tocar essa casa de tamanha importância. Quero colocar a Justiça próxima da sociedade e quero que ela preste com eficiência a jurisdição”, concluiu.

Nascido em Niterói, o futuro presidente do TJRJ Ricardo Rodrigues Cardozo formou-se pela Faculdade de Direito da Universidade Federal Fluminense (UFF) em 1979, foi defensor público do Estado do Rio de Janeiro por cinco anos antes de ingressar na Magistratura fluminense em 1988, tendo sido promovido a desembargador em 2003. Foi ainda membro do Órgão Especial (2014/2016), presidente da Comaq (2015/2016), membro das Bancas Examinadoras dos 41º, 45º e 46º Concursos para Ingresso na Magistratura de Carreira do Estado do Rio de Janeiro nas disciplinas de Processo Civil e Direito Civil, juiz eleitoral titular da 246ª Zona Eleitoral, coordenador regional eleitoral das áreas de Campo Grande e Santa Cruz (Zona Oeste do Rio) de 1996 a 2003, presidente da 15ª Câmara Cível, diretor-geral da Emerj e corregedor-geral da Justiça. Atuou como professor da Emerj, de Direito Civil da Faculdade de Direito da Universidade Estácio de Sá, da Esaj, de Direito Comercial da Faculdade de Direito da Universidade Augusto Motta, foi chefe do Departamento de Ensino da Faculdade Niteroiense de Educação, Letras e Turismo – Universidade Plínio Leite e vice-presidente do Fórum Permanente de Direito de Família da Emerj.

No dia 3 de fevereiro, também serão empossados os desembargadores Marcus Henrique Pinto Basílio (corregedor-geral da Justiça); Caetano Ernesto da Fonseca Costa (1º vice-presidente); Suely Lopes Magalhães (2ª vice-presidente); José Carlos Maldonado de Carvalho (3ª vice-presidente); e Marco Aurélio Bezerra de Melo (diretor-geral da Escola da Magistratura do Estado do Rio de Janeiro – Emerj).

O NABALANCANF APENAS REPOSTA A NOTÍCIA QUE SE FEZ PÚBLICA SEM TECER QUALQUER COMENTÁRIO A RESPEITO DA MATÉRIA OU SE RESPONSABILIZAR PELA MESMA. TEM O CUNHO MERAMENTE INFORMATIVO.
Fonte
TJRJ

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

1 × 5 =

Especialista

Olá! você têm alguma dúvida?