Desembargador Moacir Peres recebe homenagem antes da aposentadoria

Última sessão na 7ª Câmara de Direito Público.

O desembargador Moacir Andrade Peres foi homenageado, nesta segunda-feira (27), em sua última sessão na 7ª Câmara de Direito Público do Tribunal de Justiça de São Paulo. A despedida, realizada no Salão Nobre Ministro Costa Manso, no Palácio da Justiça, foi conduzida pelo presidente do TJSP, desembargador Ricardo Mair Anafe, e contou com a presença de integrantes do Conselho Superior da Magistratura e diversos desembargadores, além de servidores e amigos do homenageado, que se aposenta 22 anos após seu ingresso no Tribunal.
O presidente da Seção de Direito Público, desembargador Wanderley José Federighi, foi o primeiro a prestar tributo. “Em um momento como esse, somos tomados por emoções ambíguas. De um lado, a tristeza da despedida. Por outro, a felicidade por saber que Vossa Excelência terá muito tempo disponível para usufruir de sua vida, junto de sua esposa”, declarou o magistrado. “O que eu pudesse dizer a respeito do desembargador Moacir Peres, como profissional, seria muito pouco para descrever suas enormes qualidades, sua capacidade de trabalho, sua serenidade, humildade e trato com os pares. Tudo isso faz dele uma das pessoas mais queridas do nosso Tribunal”, concluiu.
Em seguida, o presidente da Seção de Direito Privado, desembargador Artur César Beretta da Silveira, relembrou sua primeira sessão no Órgão Especial, quando divergiu de um voto do desembargador Moacir Peres, mas, desde então, passou a nutrir grande amizade e admiração pelo homenageado. “Percebi que havia divergido de um desembargador cuja competência é tamanha que é capaz de proferir um voto oral sem ler uma linha sequer, falando por uma hora com total domínio. Vossa Excelência me impressionou”, destacou. “Passei a conhecê-lo e ali nasceu uma amizade eterna”, acrescentou o magistrado.
Colega de 7ª Câmara, o desembargador Sérgio Coimbra Schmidt relembrou os feitos do homenageado na carreira e também lamentou a perda de um grande magistrado. “O desembargador e amigo fará muita falta, mas é chegado o momento de se dedicar à sua esposa, sua família e à vida cultural, que é muito intensa”, disse.
O presidente Ricardo Mair Anafe qualificou o homenageado como um amigo leal, além de um grande formador de opinião na Corte. “Perdemos um desembargador, mas jamais perderemos o amigo. Cumpriu seu dever com galhardia, e sai com respeito e admiração de todos os magistrados, membros do Ministério Público, da Defensoria Pública, da advocacia, de servidores e de todo o povo de São Paulo. Foi um grande juiz, um exemplo para todos nós e para as novas gerações. Seja muito feliz”, declarou.
Com o uso da palavra, o desembargador Moacir Peres fez um balanço de sua carreira no Judiciário, relembrando magistrados com quem judicou em mais de duas décadas, além de agradecer servidores e amigos. “A interação dos nossos espíritos se perpetuará, deixando um nítido rastro de alegria pelo curso da minha existência. Fico agradecido aos magistrados alegres, talentosos e destemidos que mantêm a Corte paulista no topo entre os Tribunais de Justiça do país. Gratidão que se associa ao meu sincero desejo de que continuem sendo na carreira o que têm sido até hoje. Muito obrigado”, disse o homenageado.
Também prestigiaram a solenidade o vice-presidente do TJSP, desembargador Guilherme Gonçalves Strenger; o corregedor-geral da Justiça, desembargador Fernando Antonio Torres Garcia; os demais integrantes da 7ª Câmara de Direito Público, desembargadores Eduardo Cortez de Freitas Gouvêa (presidente), Paulo Magalhães da Costa Coelho, Luiz Sergio Fernandes de Souza e Fernão Borba Franco; os desembargadores Sidney Romano dos Reis, Maurício Fiorito, Rubens Rihl Pires Corrêa, Luís Francisco Aguilar Cortez, Mônica de Almeida Magalhães Serrano, Flora Maria Nesi Tossi Silva e Heloísa Martins Mimessi; o procurador de Justiça Edgard Moreira da Silva; magistrados, servidores e amigos do homenageado.

Trajetória – Moacir Andrade Peres nasceu em São Paulo (SP), em 1953. Graduou-se pela Faculdade de Direito da Pontifícia Universidade Católica de São Paulo, turma de 1977. Ingressou na magistratura como juiz do Tribunal de Alçada Criminal (Tacrim), em 1994, sendo nomeado pelo critério do Quinto Constitucional. Em 2001, assumiu o posto de desembargador do TJSP. Se aposenta como o decano da 7ª Câmara de Direito Público, sendo, ainda, integrante do Órgão Especial do Tribunal de Justiça de São Paulo, do qual se despede nesta quarta-feira (1º).

Comunicação Social TJSP – RD (texto) / KS (fotos)
imprensatj@tjsp.jus.br

O NABALANCANF APENAS REPOSTA A NOTÍCIA QUE SE FEZ PÚBLICA SEM TECER QUALQUER COMENTÁRIO A RESPEITO DA MATÉRIA OU SE RESPONSABILIZAR PELA MESMA. TEM O CUNHO MERAMENTE INFORMATIVO.
Fonte
TJSP

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

treze − quatro =

Especialista

Olá! você têm alguma dúvida?