Curso preparatório para adoção inicia com pretendentes de Criciúma e Forquilhinha

As comarcas de Criciúma e Forquilhinha, em conjunto, iniciaram nesta semana (2/5), mês da adoção, um novo curso para habilitação de pretendentes. Para facilitar a realização da etapa presencial, por serem unidades judiciais muito próximas, pretendentes das duas comarcas estão em uma só turma. O primeiro encontro ocorreu na última terça-feira no salão do júri do fórum de Criciúma. O trabalho foi conduzido pela psicóloga Joana Patrícia Anacleto de Assis, da comarca de Criciúma, pela assistente social Daniella Marcos Ferreira Felippe, da comarca de Forquilhinha, e pela estagiária Gabriela Dallbello Bento, do setor psicossocial da comarca de Criciúma.

Para instruir os pretendentes quanto às demandas referentes ao processo de adoção, bem como proporcionar um momento de reflexão e trocas de experiências e vivências, programou-se dois encontros presenciais, além dos cinco módulos online que deverão realizar. No primeiro encontro, foi promovida uma orientação de forma mais expositiva, levando o grupo a conhecer as etapas do processo, o funcionamento dos sistemas e cadastros, além de demonstrar através de vídeo e perguntas reflexivas questões com as quais possam vir a se deparar futuramente. Foi disponibilizado para cada pretendente um artigo, referente ao tema adoção tardia, bem como panfletos relacionados à adoção.

A psicóloga da comarca de Criciúma destaca que o curso ainda não retornou à modalidade 100% presencial, como era anterior à pandemia, mas já conta com a possibilidade de ser híbrido, parte EAD e parte presencial, já que essa aproximação faz a diferença no processo preparatório. “É muito importante para que haja contatos entre equipe técnica e os pretendentes, assim como a troca de experiência entre eles”, explica. Em um primeiro momento, os participantes, casais e pessoas solteiras, se apresentaram brevemente e expuseram seus motivos para entrar com o pedido de habilitação para adoção, que, por vezes, se assemelham. “Esperamos que em breve possamos retornar totalmente presencial. A experiência de ontem mostrou os benefícios dessas trocas”.

Após a primeira etapa presencial, os pretendentes à adoção continuam o curso na modalidade virtual, por meio da Academia Judicial do PJSC, e ao final, participam novamente de um encontro presencial. Ao concluírem o curso com 100% de aproveitamento, recebem certificados de conclusão individuais e prosseguem com o processo de habilitação perante o juízo da Infância de suas comarcas.

Conteúdo: Assessoria de Imprensa/NCI
Responsável: Ângelo Medeiros – Reg. Prof.: SC00445(JP)
O NABALANCANF APENAS REPOSTA A NOTÍCIA QUE SE FEZ PÚBLICA SEM TECER QUALQUER COMENTÁRIO A RESPEITO DA MATÉRIA OU SE RESPONSABILIZAR PELA MESMA. TEM O CUNHO MERAMENTE INFORMATIVO.
Fonte
TJSC

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

18 − 16 =

Especialista

Olá! você têm alguma dúvida?