Crianças e jovens em situação de acolhimento participam da 3ª edição do “Sarau Mil Grau”

Conscientização sobre o direito à cultura.

A terceira edição do “Sarau Mil Grau” aconteceu, nesta segunda-feira (11), no auditório do Museu da Língua Portuguesa, na Capital, e reuniu crianças e jovens em situação de acolhimento para diversas apresentações artísticas. O evento, promovido pelo Tribunal de Justiça de São Paulo, por meio da Corregedoria Geral da Justiça (CGJ), tem o objetivo de disseminar cultura e conscientização sobre os direitos das crianças e dos adolescentes.
Ao todo, 82 jovens em situação de acolhimento participaram do evento, 46 deles atuaram no sarau em 12 apresentações, com destaque para a música com exibição variada de gêneros como funk, hip-hop, gospel, rock e MPB. Também aconteceram apresentações de dança e ballet, leitura de poesias, mostra de desenhos e show de talentos com esculturas com balões, que fizeram a alegria das crianças da plateia.
O espetáculo também teve como protagonistas internos em cumprimento de medida socioeducativa da Fundação Casa que, com apoio de servidores, cantaram sucessos como “Trem das Onze”, de Adoniram Barbosa; as modas de viola “Romaria” e “Tocando em Frente”, de Renato Teixeira e “Tudo que ela gosta de escutar”, sucesso da banda de rock Charlie Brown Jr. Os jovens também deram um verdadeiro show com demonstração de habilidades em dança com acrobacias.
O evento foi conduzido pelo jornalista Pedro Bassan, que reforçou a importância do respeito aos direitos das crianças e dos adolescentes, com leitura da legislação no intervalo entre as apresentações. “A luta pela implementação desses direitos cabe a todos nós. O sarau mostra que não estamos apenas falando, estamos fazendo e garantindo um direito que está na nossa Constituição, que é o acesso à cultura”, afirmou.
Para o juiz assessor da Corregedoria para a área de Infância e da Juventude e idealizador do “Sarau Mil Grau”, Iberê de Castro Dias, a cultura tem um papel fundamental na construção da cidadania. “O objetivo principal do evento é formar cidadãos que sejam conscientes de seus direitos. Vários estudos mostram as vantagens das atividades artísticas para o desenvolvimento da pessoa. Aqui, as artes são usadas como forma de inclusão social e, por meio delas, crianças e adolescentes adquirem formação humana mais completa e podem externar suas emoções”, destacou o magistrado.

 

Assista a algumas apresentações.

Comunicação Social TJSP – FS (texto), LC (fotos), VV e ND (vídeo)

Siga o TJSP nas redes sociais:

TJSP REALIZA MAIS UMA EDIÇÃO DO SARAU MIL GRAU

O NABALANCANF APENAS REPOSTA A NOTÍCIA QUE SE FEZ PÚBLICA SEM TECER QUALQUER COMENTÁRIO A RESPEITO DA MATÉRIA OU SE RESPONSABILIZAR PELA MESMA. TEM O CUNHO MERAMENTE INFORMATIVO.
Fonte
TJRJ

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

quatro + 6 =

Especialista

Olá! você têm alguma dúvida?