Corregedorias da Justiça Eleitoral compartilham temas comuns

Reunião ocorreu dentro da programação do Encontro "Boas Práticas CGE 2022- 2023: Atendimento, Inclusão e Diversidade"

Logo após a abertura do Encontro Boas Práticas CGE 2022- 2023: Atendimento, Inclusão e Diversidade, realizada nesta terça-feira (19) na sede do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), as corregedoras e corregedores eleitorais realizaram um encontro preparatório para o 52º Encontro do Colégio de Corregedoras e Corregedores Eleitorais do Brasil, que acontecerá em breve no Rio de Janeiro.

Na reunião, foi aprovada a alteração do nome da entidade, que, por questão de inclusão e diversidade, incluiu a palavra “corregedoras”, passando a se chamar Colégio de Corregedoras e Corregedores Eleitorais do Brasil.

Na abertura, o corregedor-geral eleitoral, ministro Benedito Gonçalves, destacou que as corregedorias trabalham ininterruptamente, pois, assim que termina uma eleição, já começam os preparativos do próximo pleito. “Novos desafios se avizinham”, disse o ministro ao destacar a proximidade das Eleições Municipais de 2024.

A reunião foi conduzida pelo presidente do Colégio de Corregedoras e Corregedores, desembargador Fernando Bodziak, e contou com a participação da secretária da Corregedoria-Geral da Justiça Eleitoral, Roberta Gresta.

Desafios comuns

A maioria dos desafios é comum a todos os Tribunais Regionais Eleitorais (TREs), que, juntos, somam 2.600 zonas eleitorais pelo país. As corregedoras e os corregedores expuseram os seguintes temas: retomada da identificação biométrica, treinamento de mesários, segurança de magistradas e magistrados e servidoras e servidores, enfrentamento da desinformação, fiscalização da propaganda eleitoral, processamento dos pedidos de registro de candidatura e o fechamento do cadastro eleitoral, marcado para o início de maio do ano que vem.

Projeto Humanitário

O vice-presidente e corregedor regional do TRE do Rio Grande do Sul, Voltaire de Lima Moraes, aproveitou para informar aos participantes que o Regional lançou o Projeto Humanitário, uma campanha para arrecadar agasalhos, cobertores, produtos de higiene e de limpeza para as vítimas das recentes enchentes no estado. Fernando Bodziak e demais corregedoras e corregedores elogiaram a iniciativa.

GA/EM, DM

O NABALANCANF APENAS REPOSTA A NOTÍCIA QUE SE FEZ PÚBLICA SEM TECER QUALQUER COMENTÁRIO A RESPEITO DA MATÉRIA OU SE RESPONSABILIZAR PELA MESMA. TEM O CUNHO MERAMENTE INFORMATIVO.
Fonte
TSE

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

um × 4 =

Especialista

Olá! você têm alguma dúvida?