Conheça os projetos do Judiciário gaúcho agraciados com o Prêmio Innovare

Em 2022, a Justiça Estadual do Rio Grande do Sul conquistou o 1º lugar em duas categorias na 19ª edição do Prêmio Innovare, premiação nacional, que tem como objetivo identificar, divulgar e difundir práticas que contribuam para o aprimoramento da Justiça no Brasil. Foram vencedores na categoria Tribunal o “Programa Formando Gerações”, promovido pelo Memorial do Judiciário do RS, e na categoria Juízes o “Projeto Borboleta”, realizado nos dois Juizados de Violência Doméstica e Familiar contra a Mulher de Porto Alegre.

Conheça os projetos:

Projeto Borboleta

Idealizado pela Juíza de Direito Madgéli Frantz Machado, titular do 1° Juizado da Violência Doméstica e Familiar contra a Mulher de Porto Alegre, o Projeto Borboleta nasceu em 2011, com o propósito de acolher, orientar e devolver autoestima e dignidade a mulheres vítimas de violência no lar e de gênero. A iniciativa também compreende a realização de grupos reflexivos de gênero para reeducação de homens envolvidos em situações de violência doméstica contra a mulher, grupo de acolhimento, psicoterapia e arteterapia para mulheres e seus dependentes. A prática oferece, ainda, através de convênio com o Senac RS, capacitação para o trabalho e empoderamento das mulheres.

 

Projeto realiza ações multidisciplinares com mulheres vítimas de violência domésticaCréditos: Juliano Verardi

 

A Juíza Madgéli destacou o trabalho coletivo realizado na iniciativa vencedora. “Estou imensamente feliz pelo prêmio concedido ao Projeto Borboleta. É o reconhecimento do trabalho desenvolvido por muitas mãos, corações e mentes, no enfrentamento à violência doméstica contra a mulher. Que o percurso das borboletas inspire a construção de muitas ações pelo Brasil afora, contribuindo para um mundo melhor, sem violência e sem discriminação contra as mulheres, com paz e igualdade. Gratidão a todos que fazem parte! Agradecimento especial ao Tribunal de Justiça pelo apoio ao longo desses mais de 10 anos de caminhada! “, afirmou a magistrada.

Formando Gerações

O Programa Formando Gerações promove a aproximação do Judiciário com a comunidade, recebendo visitantes no Memorial do Judiciário do RS, repassando informações sobre o funcionamento da Justiça, os três Poderes, a estrutura e funcionamento do Judiciário, situações de cidadania, direitos e deveres e a presenta do judiciário na vida cotidiana. Os visitantes assistem a uma peça teatral com temática de conflito e são estimulados a participarem de um júri simulado, vivendo os papéis de advogados de defesa, acusação, jurados, juiz e imprensa. Em funcionamento desde 2004, a prática tem sua agenda esgotada em cerca de um mês após a abertura das inscrições.

 

Estudantes são os próprios atores no júri simulado do Formando GeraçõesCréditos: Arquivo – DICOM/TJRS

 

“O Memorial viveu o momento mais emocionante de sua trajetória ao conquistar a principal Categoria do Prêmio Innovare. Vitória dos nossos servidores e estagiários que aperfeiçoam a prática pedagógica Formando Gerações há mais de 10 anos. Mais de 17 mil estudantes já passaram pelo Espaço da entidade aprendendo noções de cidadania, funcionamento das instituições e valorização da pessoa humana. Foi uma conquista histórica que a todos estimula para outras iniciativas”, celebrou o Diretor do Memorial do Judiciário, Desembargador aposentado José Carlos Teixeira Giorgis.

O anúncio ocorreu no começo do mês de dezembro (07/12), em cerimônia realizada no Supremo Tribunal Federal. Os integrantes dos dois projetos foram recebidos, posteriormente, pelos membros da Administração do TJRS, no gabinete da Presidência.

O NABALANCANF APENAS REPOSTA A NOTÍCIA QUE SE FEZ PÚBLICA SEM TECER QUALQUER COMENTÁRIO A RESPEITO DA MATÉRIA OU SE RESPONSABILIZAR PELA MESMA. TEM O CUNHO MERAMENTE INFORMATIVO.
Fonte
TJRS

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

onze − 9 =

Especialista

Olá! você têm alguma dúvida?