Comitê Gestor homologa vencedores do 1º Prêmio eproc de Inovação e Boas Práticas

O Comitê Gestor do eproc, em reunião ordinária realizada nesta semana (2/10), homologou o resultado do 1º Prêmio eproc de Inovação e Boas Práticas no Judiciário Catarinense.

Abaixo, as cinco iniciativas vencedoras do prêmio deste ano, listadas em ordem alfabética pelo nome do autor:

 

Anderson David de Souza Auditoria Interna dos Recursos em Trâmite na Secretaria – DRTS/DRI Divisão de Recursos aos Tribunais Superiores (DRTS) – DGJ/DRI
Daniel Henrique Sprotte Lima Preferenciais Visuais Compartilhadas 1ª Vara de Araquari
Fernanda Fontana Maciel Rodermel Padronização e Automatização de Fluxos de Trabalho 2ª Vara Cível de Curitibanos
Ricardo do Valle Dias AZproc – Ferramentas para Otimização &  Automatização 2ª Vara Cível de São Francisco do Sul
Rodrigo Clímaco José Localizador de prazos no gabinete 2ª Vara da comarca de Rio Negrinho

 

O prêmio foi instituído em agosto deste ano, em comemoração dos cinco anos da implantação do eproc no Poder Judiciário de Santa Catarina, e tem como objetivo reconhecer e celebrar as inovações e boas práticas de magistrados e servidores de toda a organização.

As iniciativas foram avaliadas por membros da equipe técnica do Comitê Gestor do eproc, composta de representantes da Presidência, Corregedoria-Geral da Justiça, Diretoria-Geral Judiciária, Diretoria de Tecnologia da Informação e Diretoria de Suporte à Jurisdição de Primeiro Grau.

A banca examinadora não teve acesso aos nomes, cargos e comarcas dos autores dos projetos e avaliou cada projeto inscrito a partir dos critérios de simplicidade, eficiência e escalabilidade. Para os organizadores, todas as inscrições foram verdadeiramente notáveis e demonstraram o comprometimento da organização em aprimorar processos de trabalho, promover a inovação e contribuir com efetividade para a melhoria da prestação jurisdicional.

Os cinco vencedores do prêmio, já informados sobre o resultado, fizeram questão de se manifestar:

Com grata admiração, recebo a informação de que a boa prática inscrita (auditoria interna dos recursos em trâmite na DRTS – Relatório Geral) da Divisão de Recursos aos Tribunais Superiores (DRTS), vinculada à Diretoria de Recursos e Incidentes (DRI), da Diretoria-Geral Judiciária (DGJ), restou selecionada, juntamente com outras quatro iniciativas. A boa prática destacada é modesta, de fato, mas habitual, costumeira e, aliada ao trabalho de equipe, mostra-se apropriada sua divulgação às unidades judiciais. Anderson David de Souza, chefe da Divisão de Recursos aos Tribunais Superiores (DRTS) – DGJ/DRI

A equipe da 1ª Vara de Araquari recebeu com muita satisfação e entusiasmo a notícia do Prêmio eproc.  A prática vencedora foi criada para sanar algumas dores comuns de todas as unidades judiciais, como uso contínuo e padronizado de ações preferenciais, dificuldades em localizar os respectivos botões e compartilhamento dessas preferências com todos da unidade, especialmente novos servidores e estagiários. Com sucesso, alcançamos resultados muito animadores, seja em relação à qualidade, seja em relação à produtividade. Por fim, agradecemos a equipe de suporte ao eproc pela escolha e pela iniciativa de criação da premiação, que valoriza e compartilha boas práticas do primeiro grau. Daniel Henrique Sprotte Lima, chefe de cartório da 1ª Vara de Araquari

A padronização e automatização dos fluxos de trabalho foi idealizada e executada em equipe. A ideia surgiu inicialmente da necessidade de otimização dos trabalhos do cartório, com a elaboração de um guia prático de execução fiscal, padronização dos atos e criação das ações preferenciais respectivas. Posteriormente, foi aprimorada com o desenvolvimento de um fluxograma de trabalho prevendo toda a tramitação da execução fiscal (atos de cartório e gabinete) e com a automatização dos localizadores, com destaque nesta etapa ao trabalho desenvolvido pela Dra. Camila Menegatti, juíza titular da unidade, e pela assessora Kézia Kariny dos Santos Krung. Foram feitos diversos testes e aperfeiçoadas as automatizações. Já padronizamos os atos e automatizamos os fluxos de trabalho de quase todas as competências e diariamente colhemos bons frutos. Nossa ideia ao fazer a inscrição no 1º Prêmio eproc de Inovação e Boas Práticas foi demonstrar a utilização das excelentes ferramentas oferecidas pelo eproc. Ficamos muito felizes e orgulhosos com a seleção e esperamos motivar outras unidades a adotarem essa prática que otimizou muito a nossa rotina de trabalho. Fernanda Fontana Maciel Rodermel, chefe de cartório da 2ª Vara Cível de Curitibanos

Fiquei feliz demais quando recebi a notícia de que o AZproc estava entre os cinco vencedores. O aplicativo, que começou como um projeto pessoal, foi crescendo e se tornou algo muito maior graças ao apoio dos usuários e colaboradores do nosso Judiciário. Cada sugestão e cada feedback recebidos foram essenciais para o aprimoramento da ferramenta. Além disso, os colegas que fazem parte da equipe de suporte do AZproc tiveram papel fundamental nos resultados que alcançamos, e vejo claramente que receber este prêmio é fruto de um esforço coletivo e contínuo. É por tudo isso que acredito que a iniciativa do TJSC e da DSJPG na busca por práticas que visam melhorar nosso trabalho só engrandece ainda mais nossa instituição: esse reconhecimento é algo inspirador. Ricardo do Valle Dias, técnico de suporte em informática da comarca de São Francisco do Sul

Foi com uma imensa alegria e honra que recebi a notícia de que o projeto de localizador de prazos em gabinete, que desenvolvi na Vara Única de Itá e aprimorei na 2ª Vara de Rio Negrinho, foi selecionado como um dos vencedores. O objetivo foi criar localizadores para casos de intimação urgente ou de apenas uma parte e, com a automatização, assim que houver peticionamento ou decurso do prazo, o processo retorna automaticamente à conclusão, o que permite que sejam feitas decisões minutos após a manifestação da parte. Logo, ganha a sociedade, com a maior agilidade na tramitação processual, e os servidores, que poderão se preocupar com outros assuntos que exijam mais sua participação ativa, deixando o controle de prazos com o robô.  Rodrigo Clímaco José, juiz de direito da 2ª Vara da comarca de Rio Negrinho

O diretor de Suporte à Jurisdição de Primeiro Grau, Marcos Raccioppi, um dos coordenadores do prêmio, fez um balanço dos trabalhos: “Estamos muito gratos a todos os participantes por sua dedicação e felizes ao ver o comprometimento de tantos magistrados e servidores em fazer de nossa instituição um lugar melhor para todos, com melhores resultados para a sociedade. Este prêmio visa não só o reconhecimento de ações inovadoras, com foco na eficiência da prestação jurisdicional, mas também a sua divulgação, a fim de que elas possam ser replicadas por todo o Estado.”

Em breve serão divulgados local e data da cerimônia de entrega dos prêmios, bem como as iniciativas submetidas à consideração da banca examinadora do prêmio.

Imagens: Divulgação/CG eproc
Conteúdo: Assessoria de Imprensa/NCI
Responsável: Ângelo Medeiros – Reg. Prof.: SC00445(JP)
O NABALANCANF APENAS REPOSTA A NOTÍCIA QUE SE FEZ PÚBLICA SEM TECER QUALQUER COMENTÁRIO A RESPEITO DA MATÉRIA OU SE RESPONSABILIZAR PELA MESMA. TEM O CUNHO MERAMENTE INFORMATIVO.
Fonte
TJSC

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

5 + 12 =

Especialista

Olá! você têm alguma dúvida?