Com participação do Judiciário, Serra discute enfrentamento da violência nas escolas

O Judiciário catarinense é um dos integrantes do Comitê de Operações Integradas de Segurança Escolar (Comseg Escolar), liderado pela Assembleia Legislativa para aprimorar a segurança no ambiente escolar. Nesta quinta-feira, dia 1º, durante audiência pública em Lages, representantes de órgãos públicos, instituições, entidades e comunidade fizeram alguns apontamentos para enfrentar a violência nas escolas. Hoje, a audiência ocorre em Chapecó, às 19h.

Ao todo, 20 participantes tiveram a oportunidade de colaborar e indicar ações. A maioria, além de pedir melhorias nas estruturas que recebem os estudantes, falou sobre saúde mental, com a sugestão de ter mais psicólogos, assistentes sociais e outros profissionais da área para atender as demandas de alunos, professores e pais. O diálogo e a cultura da paz, com inclusão da Justiça Restaurativa no ambiente escolar, foram indicados por alguns.

Representando o presidente do PJSC, desembargador João Henrique Blasi, e o coordenador estadual da Infância e da Juventude, desembargador Álvaro Luiz Pereira de Andrade, o juiz Ricardo Alexandre Fiúza, titular da Vara da Infância e Juventude da comarca de Lages, deu enfoque à prevenção. “É importante reforçarmos o diálogo, as parcerias e ações em rede na área da infância e juventude.”

Juiz Ricardo Alexandre Fiúza.
O magistrado reforça que os professores precisam ser mais ouvidos. “São os diretores e professores das nossas escolas que conhecem o perfil dos alunos, suas famílias, e sabem o que aquela criança ou adolescente é capaz ou não de fazer. Eles têm condições de auxiliar na prevenção dos atos de violência.”

Professor da Universidade de Boston, Stacy Scott apresentou aos participantes a experiência no desenvolvimento de estratégias para enfrentamento da violência escolar no Estado de Massachusetts. Psicólogo e ex-secretário de Educação, Stacy reforçou que, para resultados efetivos, é necessária a união dos esforços de toda a sociedade. As polícias Civil e Militar de Santa Catarina também falaram brevemente sobre ações na área.

Sobre o Comseg

Composto de representantes de mais de 30 entidades públicas e privadas, o Comseg Escolar foi instituído pela Mesa da Assembleia Legislativa em resposta ao ataque a uma creche em Blumenau, ocorrido em abril deste ano, que resultou na morte de quatro crianças e numa série de ameaças a unidades escolares em todo o Estado. O objetivo dessas audiências é ouvir a sociedade para a elaboração de uma proposta unificada voltada à segurança escolar em Santa Catarina.

Conteúdo: Assessoria de Imprensa/NCI
Responsável: Ângelo Medeiros – Reg. Prof.: SC00445(JP)
O NABALANCANF APENAS REPOSTA A NOTÍCIA QUE SE FEZ PÚBLICA SEM TECER QUALQUER COMENTÁRIO A RESPEITO DA MATÉRIA OU SE RESPONSABILIZAR PELA MESMA. TEM O CUNHO MERAMENTE INFORMATIVO.
Fonte
TJSC

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

um × um =

Especialista

Olá! você têm alguma dúvida?