Com mais duas mortes confirmadas por febre maculosa, Campos registra seis vítimas em menos de quatro meses

Mortes ocorreram entre setembro e dezembro; há outros 12 casos suspeitos em investigação

A Subsecretaria de Atenção Básica, Vigilância e Promoção da Saúde (Subpav) — órgão ligado à Secretaria Municipal de Saúde — confirmou mais duas mortes por febre maculosa em Campos. As confirmações vieram nesta terça-feira (1º), após pedido de informação da equipe de reportagem do J3News. Os óbitos mais recentes ocorreram entre 29 de novembro e 4 de dezembro do ano passado e são dois adultos de 65 e 61 anos, moradores do Parque Eldorado e Ribeiro do Amaro (Região Norte de Campos). A confirmação laboratorial de ambos os casos ocorreu em 29 de dezembro. Com isso, o município registrou seis mortes em 2022. A febre maculosa é uma doença infecciosa, febril aguda e de gravidade variável, causada pelo carrapato-estrela (Amblyomma cajennense) infectado pela bactéria (Rickettsia rickettsii).

A Subpav informa que em 2022 foram confirmados oito casos de febre maculosa no município. Deste total, seis evoluíram para óbito. Outros dois se recuperaram da doença e estão bem. Há ainda 12 casos em investigação. Já o número de descartados, somam 41 casos. Em 2023 ainda não há notificação para a doença.

A primeira morte confirmada foi a de um menino de 10 anos, morador de Três Vendas (veja aqui), ocorrida em 10 de setembro. Os outros dois foram pacientes adultos com idade entre 56 e 70 anos, cujas mortes ocorreram nas localidades de Ciprião, na Baixada Campista, e no Novo Jockey, esse último registrado no dia 13 de outubro e a confirmação laboratorial para a doença em 25 do mesmo mês (veja aqui). Outra vítima, uma criança de 7 anos, morreu em Coqueiro de Tocos, em 29 de outubro, também na Baixada Campista (veja aqui).

“O CCZ só realiza a dedetização específica contra o carrapato-estrela quando há comprovação da doença. O órgão orienta à população quanto aos cuidados para evitar contato com carrapato, que é manter a higiene do ambiente e dos animais domésticos. Caso as pessoas morem ou adentrem locais que tenham carrapato, devem usar macacão ou calça e camisa de mangas longas, de preferência na cor clara, facilitando a visualização de carrapatos. Além disso, utilizar fita adesiva prendendo a bainha da calça ou macacão com a bota impedindo a entrada de carrapatos.  Após tirar essa roupa, deve-se fazer uma análise da superfície do corpo para verificar se não tem carrapatos”, orientou a Subpav em nota.

Os principais sintomas da Febre Maculosa são: febre, dor de cabeça intensa, náuseas e vômitos, diarreia e dor abdominal, dor muscular constante, inchaço e vermelhidão nas palmas das mãos e sola dos pés, gangrena nos dedos e orelhas e paralisia dos membros que inicia nas pernas e vai subindo até os pulmões causando paragem respiratória. Além disso, com a evolução da febre maculosa é comum o aparecimento de manchas vermelhas nos pulsos e tornozelos, que não coçam, mas que podem aumentar em direção às palmas das mãos, braços ou solas dos pés.

De acordo com a Portaria do Ministério da Saúde – de consolidação PORTARIA Nº 264, DE 17 DE FEVEREIRO DE 2020 – todo caso de febre maculosa é de notificação obrigatória às autoridades locais de saúde. Deve-se iniciar a investigação epidemiológica em até 48 horas após a notificação, avaliando a necessidade de adoção de medidas de controle pertinentes.

O NABALANCANF APENAS REPOSTA A NOTÍCIA QUE SE FEZ PÚBLICA SEM TECER QUALQUER COMENTÁRIO A RESPEITO DA MATÉRIA OU SE RESPONSABILIZAR PELA MESMA. TEM O CUNHO MERAMENTE INFORMATIVO.
Fonte
JORNAL TERCEIRA VIA

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

2 × três =

Especialista

Olá! você têm alguma dúvida?