CDIP ofereceu acompanhamento ambulatorial a 3 mil usuários em 2022

Além de consultas pela equipe técnica, os pacientes receberam exames específicos e dispensa mensal de medicamentos

O Centro de Doenças Infecto-Parasitárias (CDIP), vinculado à Secretaria Municipal de Saúde, ofereceu ao longo do ano de 2022 acompanhamento ambulatorial para aproximadamente três mil usuários com diagnóstico de HIV (Vírus da Imunodeficiência Humana). Além de consultas pela equipe técnica, os pacientes receberam, através do programa DST/Aids e Hepatites Virais, exames específicos e dispensa mensal de medicamentos (média de 3.041 antirretrovirais).
De acordo com levantamento do programa, o público alvo é composto por gestantes, parturientes, crianças expostas ao HIV, crianças e adolescentes em tratamento para HIV/AIDS e adultos. Em 2022, foram diagnosticados 259 novos casos. Já em 2021 foram 248 casos.
Das três mil pessoas cadastradas atualmente no programa, 63% são compostos por homens e outras 37% por mulheres, sendo a faixa etária de maior relevância, entre 20 a 34 anos de idade.
“Nos últimos 5 anos ocorreram em média 250 novos casos de diagnostico para HIV no município de Campos e cidades vizinhas como São João da Barra, Aperibé, São Fidélis, Conceição de Macabu entre outros. Embora tenham ocorridos casos em todas as faixas etárias, temos uma incidência maior nos usuários com idades entre 24 e 34 anos com uma porcentagem de 38% dos casos”, informou o coordenador do programa, Rodrigo Rodrigues de Azevedo, acrescentando, ainda, que as crianças expostas ao HIV, filhos de mães portadoras do vírus, representam em torno de 14% dos casos.
Ao longo do ano, o CDIP realizou capacitações, com treinamento aos profissionais das Unidades Básicas de Saúde (UBS) para descentralização dos testes rápidos, para o diagnóstico das Infecções Sexualmente Transmissíveis (ISTs): sífilis; hepatites B e C, entre outras doenças relacionadas. Além disso, o departamento, que funciona na Rua Conselheiro Otaviano, 241, Centro, das 7h às 19h, prestou serviços aos munícipes com distribuição de preservativos e palestras educativas, quando solicitado.
O programa também ofereceu o serviço de Profilaxia Pré-Exposição ao HIV (PrEP) e Profilaxia Pós-Exposição (PEP). Ambos os métodos reduzem o risco de adquirir o HIV, a partir do uso de medicamentos antirretrovirais que impedem que o vírus se estabeleça e se espalhe pelo corpo. Neste ano, foram 111 usuários PrEP e 409 PEP.
No caso da PrEP, a indicação é para as pessoas que vivem em contexto de risco e estão nos considerados grupos-chaves, entre elas, trabalhadores do sexo, travestis e transexuais, além de parceiros soro diferentes (quando um é portador do vírus HIV e o outro não). Já a PEP, é indicada para indivíduos imediatamente após uma relação sexual desprotegida, ou seja, sem uso de camisinha, ou no caso de rompimento ou ainda quando houver o escape da camisinha e exposição ao esperma. A PEP também está indicada nos casos de violência sexual e acidente ocupacional.
O programa conta com uma equipe multidisciplinar, formada por infectologistas, psicólogos, assistentes sociais, enfermeiros, farmacêuticos, entre outros. O CDIP atende pacientes de toda a Região Norte Fluminense.
O NABALANCANF APENAS REPOSTA A NOTÍCIA QUE SE FEZ PÚBLICA SEM TECER QUALQUER COMENTÁRIO A RESPEITO DA MATÉRIA OU SE RESPONSABILIZAR PELA MESMA. TEM O CUNHO MERAMENTE INFORMATIVO.
Via
Por: Redação - Foto: Divulgação / Kelly Maria
Fonte
PREFEITURA DE CAMPOS

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

2 × 2 =

Especialista

Olá! você têm alguma dúvida?