CASO PORTO REAL: MÃE E MADRASTA SÃO CONDENADAS A 57 ANOS DE RECLUSÃO EM REGIME FECHADO POR TORTURA E MORTE DE MENINA DE SEIS ANOS

Notícia publicada por Assessoria de Imprensa em 06/12/2023 13:32

O Conselho de Sentença do III Tribunal do Júri da Capital condenou nesta terça-feira (5/12) Gilmara Oliveira de Faria e Brena Luane Barbosa Nunes a 57 anos, 9 meses e 10 dias de reclusão em regime fechado. As duas são acusadas de torturar até a morte Ketelen Vitória Oliveira da Rocha, de 6 anos, em abril de 2021, em Porto Real, na região sudoeste do Rio.

A menina, filha de Gilmara e enteada de Brena, chegou a ser socorrida e hospitalizada em estado grave, mas não resistiu aos ferimentos.

De acordo com denúncia, durante três dias seguidos, a dupla efetuou sessões de agressões contra a vítima, consistentes em socos, chutes, arremessos contra a parede, pisões, chicoteadas e arremesso num barranco de aproximadamente sete metros de altura.

“A morte de uma criança de apenas 6 anos não se resume a um ato isolado de homicídio. Trata-se de um ato de extrema perversidade que transcende os limites da compreensão humana. A tenra idade da vítima, uma criança inocente e vulnerável, é um fator que exige uma avaliação negativa das consequências do crime. Se tomada, por exemplo, a expectativa de vida da mulher no brasil (de 79 anos), a ré ceifou, no mínimo, 73 anos de vida da vítima”, ressaltou o presidente do III Tribunal do Júri da Capital, juiz Cariel Bezerra Patriota.

Processo nº 0004951-96.2021.8.19.0066

IA/MB

O NABALANCANF APENAS REPOSTA A NOTÍCIA QUE SE FEZ PÚBLICA SEM TECER QUALQUER COMENTÁRIO A RESPEITO DA MATÉRIA OU SE RESPONSABILIZAR PELA MESMA. TEM O CUNHO MERAMENTE INFORMATIVO.
Fonte
TJRJ

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

três × 1 =

Especialista

Olá! você têm alguma dúvida?