Caso Kiss: Recursos que questionam anulação do júri serão enviados às Cortes Superiores

A 2ª Vice-Presidência do Tribunal de Justiça do Rio Grande do Sul (TJRS) admitiu os recursos (Especial e Extraordinário) do Ministério Público Estadual que questionam a anulação do júri do caso Kiss, ocorrida em 03/08/22, pela 1ª Câmara Criminal da Corte. Com isso, caberá às Cortes Superiores (STJ e STF) decidirem sobre os pleitos da acusação, que busca manter validada a condenação dos quatro réus.

Cinco representantes da Associação dos Familiares de Vítimas e Sobreviventes da Tragédia de Santa Maria (AVTSM) foram recebidos pelo 2º Vice-Presidente do TJRS, Desembargador Antonio Vinicius Amaro da Silveira, na manhã desta terça-feira, no prédio da Corte gaúcha. O magistrado, responsável por analisar o enquadramento do juízo de admissibilidade dos recursos às Cortes Superiores, informou o grupo sobre a decisão, que já está publicada, e destacou que o TJ, sem adentrar ao mérito, é sensível às questões que envolvem a sociedade gaúcha, e a que se refere a tragédia ocorrida na boate Kiss, está entre as mais importantes.

Citou, como exemplo, a organização da Corte para a realização do júri, em dezembro de 2021, que envolveu diversos setores e servidores do TJRS, durante meses, para preparação da logística do julgamento, que durou dez dias, sendo o mais longo da história do Judiciário do RS.

O Desembargador também explicou sobre a complexidade dos trâmites processuais, suas peculiaridades envolvendo ritos e normas. Os autos chegaram conclusos à 2ª Vice-Presidência no último dia 23/02/23. “O caminho está traçado”, afirmou. “A presidência do TJ está ciente do problema e solidária com as famílias”.

Desde ontem um grupo de familiares das vítimas da Kiss se manteve em frente ao prédio do TJ. O representante do grupo, Flavio Silva, ex-presidente da AVTSM, disse que o objetivo da vigília é demonstrar o anseio dos familiares. “É uma promessa de pai lutar pela dignidade do nome e da memória dos nossos filhos. Lutamos com o sentimento de amor, é o que nos move”.

 

Magistrado informou ao grupo que recursos foram admitidos pela 2ª Vice-Presidência do TJ e seguirão aos Tribunais SuperioresCréditos: Juliano Verardi – DICOM/TJRS

 

Ele esteve acompanhado pela esposa, Ligiane Righi, pela Advogada da Associação, Tâmara Soares, e pela Vice-Presidente da Associação, Marilene Santos Soares. O Assessor Militar da Presidência do TJRS, Coronel Carlos Roberto Guimarães Rodrigues, também acompanhou o encontro. Tâmara agradeceu a análise célere por parte da 2VP. “Vamos batalhar junto ao STJ para que entenda este pleito”.
Leia também:

28/10/22: Caso Kiss: decisão que anulou júri permanece inalterada

03/08/22: Caso Kiss: Anulado júri que condenou os réus

10/12/21: Caso Kiss: Condenados os quatro réus

O NABALANCANF APENAS REPOSTA A NOTÍCIA QUE SE FEZ PÚBLICA SEM TECER QUALQUER COMENTÁRIO A RESPEITO DA MATÉRIA OU SE RESPONSABILIZAR PELA MESMA. TEM O CUNHO MERAMENTE INFORMATIVO.
Fonte
TJRS

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

19 + um =

Especialista

Olá! você têm alguma dúvida?