Caso Kathlen Romeu: PMs negam acusação de fraude processual

O juiz Leonardo Rodrigues da Silva Picanço, da Auditoria Militar do Rio, ouviu, na tarde desta terça-feira (23/5), os cinco policiais militares acusados de fraude processual na operação que terminou na morte de Kathlen Romeu. São eles: Jeanderson Correia Sodré, Rodrigo Correia de Frias, Cláudio da Silva Scanfela, Marcos Felipe da Silva Salviano e Rafael Chaves de Oliveira.

Kathlen tinha 24 anos e estava grávida quando foi morta por um tiro no Complexo do Lins, na Zona Norte do Rio, em julho de 2021.

O primeiro réu a prestar depoimento foi o capitão Jeanderson Sodré. Ele disse que estava em patrulhamento de rotina na região, quando ouviu disparos de fogo e avistou dois policiais acenando para a viatura. De acordo com o capitão, os dois PMs informaram que havia uma moradora baleada. Sodré afirmou que prestaram socorro à vítima e que, devido ao protesto dos moradores, não foi possível preservar o local do homicídio para perícia.

Em seguida, o cabo Rodrigo Frias contou que estava em patrulha no beco com outros dois policiais, quando foram surpreendidos por disparos de bandidos. O PM disse que revidou aos tiros e que, no final do beco, viu uma mulher caída no chão e uma senhora gritando, ao lado. Após o socorro à Katlhen, ele aponta que o sargento Rafael Chaves recolheu sacolas que foram abandonadas pelos bandidos na rua. Nessas bolsas, de acordo com o cabo, havia papelotes de maconha, cocaína e crack, carregadores de pistola e de fuzil e munições.

Outro policial presente no beco, o cabo Marcos Felipe Salviano, admitiu que efetuou cinco disparos de fuzil durante a operação. Já o sargento Rafael Chaves falou que, devido à necessidade de sair do local rapidamente por pressão dos moradores, conseguiu pegar apenas parte das sacolas largadas na rua. Ele negou que tenha retirado objetos do chão. Outro PM que prestou depoimento foi o cabo Cláudio da Silva Scanfela.

No próximo dia 29, será realizada a audiência de instrução e julgamento dos acusados de atirar contra Kathlen, Marcos Felipe da Silva Salviano e Rodrigo Correia de Frias, na 2ª Vara Criminal da Capital, em processo que apura a morte da jovem.

Processo: 0315307-78.2021.8.19.0001

 

MG / MB

O NABALANCANF APENAS REPOSTA A NOTÍCIA QUE SE FEZ PÚBLICA SEM TECER QUALQUER COMENTÁRIO A RESPEITO DA MATÉRIA OU SE RESPONSABILIZAR PELA MESMA. TEM O CUNHO MERAMENTE INFORMATIVO.
Fonte
TJRJ

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

15 − cinco =

Especialista

Olá! você têm alguma dúvida?