Mais salgada que o mar e 100 vezes maior que a Rodrigo de Freitas: conheça a Lagoa de Araruama – que não é lagoa

Um dos maiores corpos de água hipersalina do mundo, laguna fica na Região dos Lagos e cobre 160 km da região costeira do RJ. Além das belezas naturais que atraem turistas, a Lagoa também é responsável pelo sustento de centenas de famílias de pescadores da região.

Situada na Região dos Lagos, no estado do Rio de Janeiro, a Lagoa de Araruama – que, apesar de ser conhecida com este nome, não é uma lagoa – é um dos maiores corpos de água hipersalina (ou seja, mais salgada que a água do mar) do mundo.

O termo correto é “laguna” porque existe uma ligação com o mar. Ela é separada do Oceano Atlântico por uma comprida linha de costa, que compõe a Restinga de Massambaba, e a única ligação com o mar é pelo Canal do Itajurú, em Cabo Frio. Já sua salinidade vem do fato de que a laguna recebe mais água do mar do que consegue escoar água de seu interior para o oceano; esse processo, combinado ao clima seco da região –que faz com que a água evapore da laguna e deixe o sal –, faz com que ela fique hipersalina (leia mais abaixo).

A Lagoa de Araruama se estende por 160 dos 850 quilômetros da região costeira do RJ. Além de Cabo Frio, outras cinco cidades são banhadas por suas águas salgadas: AraruamaIguaba GrandeSaquaremaSão Pedro da Aldeia e Arraial do Cabo.

Única ligação da laguna com o mar é pelo Canal do Itajuru, em Cabo Frio — Foto: Divulgação / Prolagos

Única ligação da laguna com o mar é pelo Canal do Itajuru, em Cabo Frio — Foto: Divulgação / Prolagos

A laguna tem 220 quilômetros quadrados e cerca de 630 milhões de metros cúbicos de água; como comparação, a Lagoa Rodrigo de Freitas, que fica na Zona Sul da cidade do Rio, e talvez seja a mais conhecida do estado, tem 2,4 quilômetros quadrados e cerca de 6 milhões e 200 mil metros cúbicos. Ou seja, a laguna é quase cem vezes maior que a Lagoa Rodrigo de Freitas.

Estudos apontam que a salinidade da água da laguna pode chegar ao dobro da salinidade da água do mar. De acordo com o Instituto Estadual do Ambiente, o Inea, podem ocorrer variações desse parâmetro em diferentes pontos da laguna, variando entre 33 ‰ (por mil) a 65‰, enquanto a salinidade média da água do mar é de 35%.

Além das belezas naturais que atraem banhistas e praticantes de diversos esportes como vela, stand up paddle e canoa havaiana, a Lagoa também é responsável pelo sustento de centenas de famílias de pescadores da região.

Pescador preparando o barco na orla da Lagoa de Araruama, em São Pedro da Aldeia — Foto: Rodrigo Marinho/g1

Pescador preparando o barco na orla da Lagoa de Araruama, em São Pedro da Aldeia — Foto: Rodrigo Marinho/g1

Nesta reportagem, você vai ler sobre:

  • Por que a Lagoa de Araruama é tão salgada
  • Quais espécies podem ser encontradas nela
  • Potencial turístico da região
  • Práticas de esportes aquáticos na lagoa
  • Questões ambientais

Por que é tão salgada?

 

Lagoa de Araruama em Cabo Frio; ao fundo aparecem chaminés de refinaria de sal — Foto: Rodrigo Marinho/g1

Lagoa de Araruama em Cabo Frio; ao fundo aparecem chaminés de refinaria de sal — Foto: Rodrigo Marinho/g1

g1 conversou com o biólogo Eduardo Pimenta, bacharel em Biologia Marinha, pós-graduado em Planejamento Energético e Impactos Ambientais e Master of Sciences em Ciências da Engenharia de Produção pela COPPE/UFRJ, para entender o que leva a laguna a ter essa alta salinidade.

Pimenta atua há mais de 40 anos na área de impacto ambiental e já participou de diversos estudos e projetos que buscam beneficiar a Lagoa de Araruama. Ele também é presidente do Comitê da Bacia Hidrográfica Lagos São João, que promove a gestão sustentável, democrática e participativa dos recursos hídricos na Região dos Lagos e Baixada Litorânea do Rio de Janeiro.

O especialista explica que o clima particular da região tem influência na salinidade da laguna. A área entre a Lagoa de Araruama e Armação dos Búzios apresenta um clima semiárido, com presença de cactos, vegetação característica de locais desérticos, e tem pouca chuva. Ele explica ainda que a laguna é parte de um estuário ou sistema estuarino, caracterizado por uma reentrância da costa para o continente onde a água doce de um rio se mistura à água salgada do oceano.

“Todo sistema estuarino joga água do interior para o mar porque tem muitos rios que aportam nesse sistema estuarino. A Lagoa de Araruama é diferente. A gente tem na Região dos Lagos o fenômeno da ressurgência, que é a subida das águas profundas oceânicas através de um sistema de vento que afasta a água superficial, e a água profunda acaba subindo. Esse fenômeno é rico em nutrientes, dá muito peixe, e a água é muito gelada. Por ser muito gelada, a água da região tem pouca evaporação. E também tem pouca precipitação. Aqui quase não chove. O clima é semiárido, com cerca de 750 a 800 mm de chuva por ano”, explica Pimenta.

Pôr-do-sol na Lagoa de Araruama, em Cabo Frio — Foto: Rodrigo Marinho/g1

Pôr-do-sol na Lagoa de Araruama, em Cabo Frio — Foto: Rodrigo Marinho/g1

“Por ser um clima semiárido e chover muito pouco na região, principalmente no entorno da Bacia Hidrográfica da Lagoa de Araruamaentra mais água do mar pro interior da Lagoa do que sai água do interior dela para o mar. Ou seja, existe uma corrente preponderante mais forte jogando pra dentro da lagoa do que tirando água dela pro mar, porque tem muito pouco aporte de rios no interior da lagoa de Araruama. Os rios que tem não são caudalosos. Então, entrando mais água do mar e por ser um clima semiárido, essa água evapora e deixa o sal. Por isso que ela é hipersalina”, completa.

Lagoa de Araruama, maior laguna hipersalina do mundo, fica no RJ — Foto: Arte/g1

Lagoa de Araruama, maior laguna hipersalina do mundo, fica no RJ — Foto: Arte/g1

Fauna

 

Flamingos-chilenos na Lagoa de Araruama. — Foto: Geraldo Lima

Flamingos-chilenos na Lagoa de Araruama. — Foto: Geraldo Lima

Diversas espécies de animais podem ser encontradas dentro e no entorno da laguna. Recentemente, a presença de cavalos-marinhos foi identificada e passou a ser estudada pela Universidade Santa Úrsula. O biólogo Eduardo Pimenta destacou que o aparecimento de cavalos-marinhos é um dos indicativos de que a laguna está saudável e se recuperando (leia mais sobre questões ambientais no final da reportagem).

“Existem vários animais que vivem na Lagoa e no entorno dela. Por exemplo, nós temos uma avifauna [conjunto das aves de uma região] riquíssima. Existe um grupo de estudo de aves da Região dos Lagos, que tem origem na Universidade Veiga de Almeida (Cabo Frio). O grupo vem inventariando as aves de toda a região há uma década. Mas nós também temos alguns outros animais. Os que são explorados economicamente é o pescado como perumbeba, carapicu, carapeba, tainha, parati e o camarão”, diz Eduardo Pimenta, que já publicou um livro em parceria com o ambientalista e fotógrafo Antonio Angelo Trindade Marques sobre as aves da Laguna Araruama.

O NABALANCANF APENAS REPOSTA A NOTÍCIA QUE SE FEZ PÚBLICA SEM TECER QUALQUER COMENTÁRIO A RESPEITO DA MATÉRIA OU SE RESPONSABILIZAR PELA MESMA. TEM O CUNHO MERAMENTE INFORMATIVO.
Via
g1.globo
Fonte
Por Rodrigo Marinho, g1

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

quatro × um =

Botão Voltar ao topo